17

Suflê de Queijo [Amigo Secreto]

Finalmente posto aqui a receita da minha amiga secreta, que é a Andréa! Foi muito engraçado fazer esse suflê porque recebi o aviso que o gás do condomínio ia ser cortado para manutenção em certo horário, só que eu acabei demorando no preparo e quase não deu tempo! Mas valeu a pena, ficou muito bom e ele até cresceu bastante – os meus suflês nunca crescem muito – mas na foto ele já estava no processo de murchamento.
A única dúvida que tive em relação à receita foi na parte de engrossar o molho, se é pra ficar bem grosso ou não. Pela textura imagino que o meu ficou um pouco ralo. Como não havia indicação do tamanho da forma eu usei 8 ramequins.
Já os presentinhos recebi no sábado, mas estava fazendo suspense para postar com a receita pronta. Adorei os mini-fouets (provando que ganhamos em dobro – ou em triplo – o que a gente dá) e o separa-gema, são muito úteis e fofos, mais uma vez obrigada, Andréa! E obrigada à Tatiana, pela brilhante e saborosa idéia!

Ingredientes:
750 ml de leite
9 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
sal a gosto (coloquei 1 colher de chá)
3 gemas
3 claras em neve
Leve ao fogo a manteiga até derreter, junte a farinha e o sal e mexa. Ponha lentamente o leite, mexendo até engrossar (como um molho bechamel). Ponha o queijo e deixe derreter. Tire e deixe esfriar.
Aos poucos ponha as gemas batidas, depois as claras em neve. Asse em forno não muito quente (deixei o meu em 180°). Ficou pronto em mais de 45 minutos.

Fonte: Andréa, do 1001 coisas (blog desativado).

25

Quiche de Macaxeira


Essa receita é um clássico na família: sempre fazia quando havia festas de natal na casa da minha mãe, e como esse ano fui para a minha madrinha, resolvi levar pra lá e acho que gostaram. Além do jogo de palavras que dá nome ao blog, a receita existe.
Que pena que meu “fotógrafo” não tirou foto dos quitutes de tia Fátima e prima Isabel, que arrasaram com um rocambole de carne, um bacalhau e uma torta de chocolate com uvas que deixou todo mundo triste de alegria. Foi um ótimo natal!

Ingredientes:
1 kg de macaxeira
sal a gosto
3 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara de creme de leite fresco
1/2 colher (chá) de noz moscada
100 g de bacon magro em cubos
1 cebola grande picada
3 gemas
3 claras

Cozinhe a macaxeira na água com sal e passe no espremedor de batatas, moedor ou processador, ainda quente. Misture a manteiga, mexendo bem com uma colher de pau (eu misturei ainda no processador). Junte o creme de leite e a noz moscada. Reserve.
Frite o bacon até que doure, junte a cebola e frite mais um pouco. Junte à massa de macaxeira. Adicione as gemas e por último as claras em neve, mexendo cuidadosamente.
Unte com manteiga uma travessa retangular refratária e despeje a massa. Asse em forno moderado (170°) por aproximadamente 1 hora. Decore com bacon frito, tomate, pimentão (decorei esse com pimentão vermelho). Serve como entrada ou como acompanhamento de assados.

Fonte: Recorte do caderno de receitas.

21

Bolo Mole de Queijo


Bolo mole era meu bolo preferido na infância, especialmente o Bolo Luís Felipe. Eu não gostava muito de bolo fofo, preferia esses bolinhos que mais parecem pudins. Lembro que a minha vó Lucíola fazia uns bem gostosos, que ela chamava perjorativamente de “manzapes”. Eu pensava que era o nome do bolo e, quando eu passava na casa dela à tardinha, indo pra casa, eu sempre perguntava: “tem manzape, vó”?
Já fiz essa receita várias vezes e o engraçado é que nunca faço com o queijo parmesão que a receita pede, sempre com outro queijo, mas o importante é que fica bom. Melhor ainda depois de gelado.

Ingredientes:
4 ovos
2 colheres (sopa) de manteiga
3 xícaras de açúcar
1 xícara de farinha de trigo
200 ml de leite de coco
200 ml de leite
1 pitada de sal
1/2 colher (sopa) de fermento em pó
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado (eu usei 6 colheres de queijo coalho)
1/2 colher (chá) de baunilha

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coloque numa forma redonda de 24 cm de diâmetro, untada com manteiga e polvilhada com farinha de trigo. Leve ao forno médio (180°) e asse até que doure em cima e que, enfiando um palito este saia limpo, o que leva mais ou menos uns 40 minutos.

Fonte: Recorte do meu caderno de receitas.

30

Torta Salgada de Liquidificador



Infalível. Esse é um dos nomes da torta da Maria Helena e faz valer o nome. Eu confesso que não sou fã de tortas de liquidificador, mas são muito práticas e aqui e ali testo uma receita. Essa foi a primeira que fiquei fã e vou repetir. Na verdade, ela fica uma espécie de pão, gostei demais, o queijo na massa faz a diferença. Se eu não me engano a Eliana já fez uma torta bem parecida. Fiz outro recheio e substituí o creme de leite por requeijão. Veja aqui a receita original.

Ingredientes:
Massa:
3 ovos
1 xícara de óleo (menos um dedo)
2 xícaras de leite
1 xícara de queijo ralado
2 xícaras de farinha de trigo
1 pitada (reforçada) de sal
1 colher de sopa de fermento em pó

Recheio:
1 copo de requeijão (ou 1 lata de creme de leite sem soro), fatias de peito de peru, azeitonas e cebolinha cristal.

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador (com exceção do fermento, que deve ser adicionado depois – eu desobedeci e adicionei no liquidificador mesmo, depois de ter batido bem os outros ingredientes).
Ponha a metade da massa numa forma untada (usei de 20 cm) e depois de acrescentar o recheio de sua preferência coloque o requeijão ou o creme de leite sem soro por cima do recheio. Despeje o resto da massa por cima e leve ao forno até dourar por cima, o que leva de 20 a 30 minutos em forno alto.

Fonte: Aventuras Culinárias.

15

Bolo de Avelã com Passas


Tinha comprado umas avelãs há um tempo pra usar numa receita, mas acabei esquecendo até que receita era esta e hoje resolvi usá-las em um bolo. É a tal da doença “vontade de bater um bolinho” muito divulgada em ensaios dadivosianos. A receita original tem recheio e cobertura, mas queria apenas um bolo comum, bem café-da-manhã. Ele tem uma textura que lembra o Bolo Madeira, muito macio, com certeza por causa das avelãs, porém é mais sequinho. Não aparece a quantidade de passas na receita, então usei 50 g, mas depois vi que pode ser mais, se for o caso. Imagino que com uma cobertura de chocolate deve ficar bem gostoso, mas estou um pouco enjoada de chocolate depois do último bolo.

Ingredientes:
250 g de manteiga
300 g de açúcar
4 gemas de ovos
4 claras
2 ovos
100 g de avelãs moídas
360 g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
50 g de passas (deixe-as um pouco no rum, se desejar)

Misture a farinha com o fermento, as avelãs e as passas. Reserve.
Bata a manteiga com o açúcar até ficar um creme. Adicione os ovos, e em seguida as gemas, batendo bem entre cada adição. Bata as claras em neve.
Vá adicionando a mistura de farinha ao creme de ovos, alternando com as claras em neve.
Despeje a massa numa forma redonda (24 cm), bem untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Leve ao forno pré-aquecido (180°) por cerca de 40 minutos ou faça o teste do palito.

Fonte: Roteiro Gastronômico de Portugal.

15

Bolo Branco de Festa [Feliz Aniversário!]

Não tenho o menor talento para bolos de aniversário, mas como fiquei com muita vontade de fazer um, peguei uma receita DIVINA da Patricia Scarpin. O problema todo é rechear, cobrir, não tenho as manhas e não tive tempo de pesquisar. Eu ia fazer uma cobertura de cream cheese, mas não deu tempo e acabei usando o recheio como cobertura (Moça Fiesta Alpino) e cobrindo com nozes picadas. O problema é que hoje aqui tava muito quente, tudo derretendo, inclusive a cobertura. Na hora, tudo bem, pois ficou na geladeira, mas no final da festa (cujo pedaço da foto não me deixa mentir) tudo estava arriando. A Patricia talvez deverá me dizer que isso não servia como recheio, mas a verdade é que apesar de tudo o bolo ficou gostoso e só tenho a agradecê-la por essa massa incrível, que vai me obrigar a fazer outros bolos de aniversário. Patricia, apesar de ficar na geladeira e de não ter sido regado, o bolo ficou uma fofura, uma delícia.

BOLO BRANCO
Ingredientes:
240 ml de leite, em temperatura ambiente
6 claras
1 colher (chá) de extrato ou essência de amêndoa (não usei)
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha
315 g de farinha de trigo
350 g de açúcar
4 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
170 g de manteiga, amolecida

Preaqueça o forno a 190°. Unte duas formas redondas de 22cm (usei de 24cm, ficou mais baixinho), forre o fundo com papel manteiga e unte o papel. Polvilhe tudo com farinha de trigo.
Misture levemente o leite, as claras (sem bater, mesmo) e as essências usando um garfo. Reserve.
Coloque a farinha, o açúcar, o fermento e o sal numa tigela de batedeira com o batedor em forma de pá (eu não tenho, então usei os comuns mesmo), junte a manteiga e bata até obter uma textura parecida com areia úmida.
Adicione a mistura de leite, reservando 120ml, e bata em velocidade média por 1 minuto e meio. Acrescente o restante da mistura de leite e bata em velocidade alta por 30 segundos – não bata demais.
Divida a massa entre as assadeiras e asse por 30-35 minutos (faça o teste do palito). Os bolos ficam bem amarelinhos por cima e mais branquinhos por dentro.
Deixe esfriar por 15 minutos nas formas e depois coloque em grelhas para esfriar completamente antes de confeitar.
Regue o bolo com um xarope feito de 1 parte de açúcar para 4 partes de água, aromatizado com essência (tem que ter cuidado na hora de molhar o bolo, senão ele fica mole demais).

Fonte: Technicolor Kitchen.

9

Trouxinhas com Patê de Ricota e Papoulas

Essas trouxinhas foram a sensação de hoje. A idéia de usar a massa de pastel como trouxinha eu vi uma vez no Mixirica, mas a mistura de gemas e leite para a massa eu costumo usar para fazer pastéis assados, pois geralmente essa massa só presta frita, mas garanto que com esse “mergulho” ela fica saborosa. A receita da base do patê eu achei no CyberCook, só mudei um pouco o jeito de fazer, achei que colocando o leite aos poucos ia ficar legal. Segue também a receita de patê de peito de peru, só como sugestão, mas fica muito bom.

Ingredientes:
Base:
450 g de ricota
1 xícara de leite fervente
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal

Para a trouxinha:
500 g de massa de pastel pronta (redonda, da menorzinha)
50 g de queijo (usei o coalho)
1 colher (sopa) de sementes de papoula
2 gemas
1 colher (sopa) de leite

Para o patê:
150 g de peito de peru light defumado
1 pimentão vermelho sem semente e sem pele (usei em conserva)

No processador disponha a ricota, a manteiga e o sal. Ligue e vá jogando o leite devagar pelo tubo. Processe até ficar um creme homogêneo.
Essa base pode ser dividida e adicionada de outros ingredientes.
Com mais ou menos 1/4 dessa pasta eu fiz o recheio das trouxinhas: adicionei o queijo e processei mais um pouco. Fora do processador misturei as sementes e recheei – uma colherinha de café pra cada círculo de massa – fechando a massa e dando formato de trouxinha. Misture as gemas com o leite e mergulhe rapidamente as trouxinhas recheadas nesse líquido, distribuindo-as numa forma untada.
Leve ao forno por cerca de 30 minutos ou até dourar.

Para o patê, apenas processei o peito de peru e o pimentão com a base de ricota (os 3/4) que sobrou. Servi com torradas.

Fonte: Mixirica e CyberCook.

26

Bolo de Fubá da Mãe da Miki


Faz tempo que queria fazer um bolo de fubá e essa receita me pareceu tão bonita (aliás confiram a foto do da Miki, ficou muito boa) e fácil, excelente realmente pra tomar com café. Tive uma tarde muito agradável com amigos muito queridos e todos gostaram.

Ingredientes:
100 g de manteiga (a Miki usou margarina)
2 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar
4 ovos
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de fubá
1 xícara (chá) de maisena (amido de milho)
1 colher (sopa) de fermento em pó
2 xícaras (chá) de leite
sementes de erva-doce a gosto

Misture a farinha, o fubá, a maisena e o fermento em pó. Reserve.
Bata a margarina com o açúcar até formar um creme homogêneo (o meu não ficou exatamente cremoso, fiquei em dúvida se a quantidade de manteiga estava certa, mas como resultou bem, acho que é essa mesma). Acrescente os ovos (inteiros) um a um misturando bem.
Vá acrescentando aos poucos a mistura de farinha e o leite, de maneira alternada: um pouco da mistura, depois um pouco do leite, incorporando entre um e outro.
No final, salpique erva-doce e misture levemente (não usei pois não tinha em casa).
Leve para assar em uma fôrma grande, untada e enfarinhada. Forno moderado.

Fonte: Tudo sobre coisas cabeça-gorda.

14

Pão Rocambole Revisitado


Receita repetida é receita boa. Hoje alguns amigos vieram pra cá e fiz um lanchinho com pão, bolo e café. O bolo segue no próximo post e o pão eleito foi o Pão Rocambole Recheado, que dessa vez levou um recheio mais caprichado, com azeitonas, queijo de minas, pimentão vermelho, salsa e cebolinha cristal.
E mais tarde, outra receitinha revisitada, o maravilhoso Sorvete de Limão porque ainda tinha limão e ainda tinha creme de leite, então…

***Ah, alguns amigos meus perguntaram de onde eu tirava as fotos: pessoal, todas as fotos são tiradas pelo Ricardo, elas relatam a minha experiência real com a receita, não são tiradas de nenhum site, fico feliz que gostaram das fotos, mas quem tem blog culinário sabe que só tem graça se a foto for de quem fez a receita. Até porque são sempre os mesmos pratinhos, a mesma bancada de granito (risos)… Então sempre que a foto tiver esse selinho “quiche de macaxeira” saibam que é nossa, viu?