22

Ravióli Assado Doce


O que me atraiu nesse ravióli foram os ingredientes, coisas que eu precisava usar logo por conta da validade. Mas o resultado foi bem legal, você começa a comer e não pára mais. A massa é algo entre biscoito e torta e o recheio é bem suave. Inclusive dá pra usar só a receita da massa e fazer ótimos biscoitos. O limão deixa um perfume agradável e não fica muito doce. Infelizmente sobrou bastante recheio porque cortei a massa em quadrados de 4 cm com uma carretilha, então ficaram pouco recheados. Seguindo as instruções da receita, a massa rende 14 raviólis, mas como fiz menores, a minha rendeu uns 30 ou mais.

Ingredientes:
Massa:
225 g (2 xícaras) de farinha de trigo
65 g (1/3 de xícara) de açúcar
90 g (1/2 xícara) de manteiga
1 ovo
1 colher (sopa) de raspas de limão

Recheio:
175 g (3/4 de xícara) de ricota
50 g (1/4 de xícara) de açúcar
3/4 de colher (chá) de essência de baunilha
1 gema
1 colher (sopa) de frutas cristalizadas
25 g de chocolate meio-amargo picado
1 ovo batido

Para a massa, junte a farinha e o açúcar no processador e com a velocidade mais alta vá colocando a manteiga aos poucos, até que vire uma farofa. Adicione o ovo e as raspas de limão. A massa deve se tornar uma bola homogênea.
Coloque a massa entre duas folhas de filme plástico e leve para a geladeira enquanto faz o recheio. Passe a ricota pela peneira e misture-a com o açúcar, a essência, a gema, as frutas e o chocolate. Divida a massa em duas e abra cada metade entre duas folhas de filme plástico (15 cm x 56 cm). Preaqueça o forno em 180°. Distribua o recheio em duas filas sobre a massa, deixando uma margem de 2,5 cm entre cada bolinha de recheio. Pincele a massa com o ovo batido por entre o recheio e cubra com a outra metade da massa, apertando ao redor, para fechar bem. Com um cortador de biscoito de 6 cm de diâmetro (eu usei uma carretilha), corte os raviólis de forma que a bolinha de recheio fique centralizada. Leve para assar numa assadeira untada por cerca de 15-20 minutos, até que fiquem dourados. Sirva morno, polvilhado com açúcar de confeiteiro e chocolate, ou raspas de limão.

Fonte: Afternoon Tea [Molly Perham].

14

Muffins de Laranja com Gotas de Chocolate


Fiquei com água na boca ao ver esses muffins no blog da Patricia, tanto que nem deixei eles esfriarem no blog dela e já posto aqui no meu a receita, com a única substituição das raspas de laranja pela essência. A combinação de laranja com chocolate é uma benção e aproveitei para inaugurar as forminhas impermeáveis que ganhei de uma amiga muito querida. Deliciosos, farei outras vezes, com certeza.

Ingredientes:
210 g (1 e 1/2 xícaras) de farinha de trigo
100 g (1/2 xícara) de açúcar
2 colheres (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
113 g (1/2 xícara) de manteiga sem sal
120 ml (1/2 xícara) de suco de laranja fresco
3/4 de xícara de gotas de chocolate meio amargo
2 ovos
Raspas da casca de 1 laranja

Preaqueça o forno a 190ºC e unte bem 12 forminhas de muffin.
Peneire a farinha, o fermento e o sal numa tigela grande. Adicione o açúcar e as gotas de chocolate e misture.
Derreta a manteiga. Retire do fogo e misture o suco de laranja, os ovos e a essência ou as raspas de laranja. Bata.
Despeje os ingredientes líquidos nos secos e misture rapidamente com um garfo – a massa vai ficar empelotada.
Coloque a massa nas forminhas de muffin e asse por 15-20 minutos ou até que estejam prontos – faça o teste do palito se desejar.

Fonte: Technicolor Kitchen.

26

Bolo de Macaxeira


A primeira coisa em que pensei para participar do evento Sabores da Minha Terra, convidada pela Akemi, foi uma Tapioca quentinha, que eu acho a cara do Ceará. Mas essa fica pra outra vez, pois a Geórgia já havia preparado uma para o mesmo evento. Pensei então no Bolo de Macaxeira, que na verdade possui várias versões em todo o Nordeste. Quando eu era criança, um cozinheiro de uma lanchonete passou essa receita pra minha mãe e desde então temos usado ela como base, aqui e ali fazendo leves alterações: deixo aqui como eu fiz hoje. Passo a bola do evento agora para a Márcia e a Patricia, caso queiram participar.

Ingredientes:
6 ovos
1 kg de macaxeira* sem a casca, ralada (*também conhecida como mandioca, aipim)
3 xícaras de açúcar refinado
1 xícara de farinha de trigo peneirada
2 xícaras de leite
1 xícara de leite de coco (ou mais uma de leite)
3 colheres (sopa) de manteiga
1 pitada de sal
50 g de coco ralado (ou a gosto)

Bata todos os ingredientes no liquidificador e despeje a massa numa fôrma de buraco no meio (untada e polvilhada). Asse em forno quente (200°) por 1 hora no mínimo, até dourar.

23

Pavê de Morango e Nutella


Fui convidada para uma noite de pizza na casa de amigos e resolvi improvisar uma sobremesa com morangos pra levar. Infelizmente não ficou bem como eu queria, até que ontem tentei novamente, com algumas alterações, e ficou perfeita. É apenas um pavê comum, mas fica a sugestão para aproveitar a temporada de morangos.
Aproveito para agradecer ao Daniel e à Cibele pelas fantásticas pizzas da sexta-feira, cuja receita é secretíssima. Infelizmente, entre as fotos que tiramos não tinha nenhuma das pizzas prontas pra mostrar aqui, pois na hora de comer ninguém lembrou de foto.

Ingredientes:
400 g de morangos frescos
1 colher (sopa) de vinho tinto
2 latas de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
1 lata de creme de leite (sem o soro)
2 colheres (sopa) de geléia de morango
2 caixas de biscoito champagne (180 g cada)
Leite para umedecer os biscoitos
1 vidro de Nutella

Esmague ligeiramente os morangos com um garfo e deixe-os numa vasilha com o vinho por alguns minutos, enquanto prepara o primeiro creme. Leve ao fogo baixo o leite condensado com a manteiga e mexa até engrossar e soltar da panela. Desligue o fogo e acrescente a mistura de morango. Misture bem e deixe esfriar. Agora faça o segundo creme: bata numa vasilha o creme de leite com a geléia até ficar homogêneo. Ponha um pouco de leite num prato fundo e vá umedecendo os biscoitos e arrumando-os numa travessa retangular, formando a base. Por cima despeje o creme de morangos. Mais uma camada de biscoitos umedecidos e por cima o creme com geléia. Finalize com uma camada de Nutella, distribuída com um bico de confeitar ou da forma que preferir. Leve ao freezer até ficar consistente.

13

Arroz Verde, Carne de Panela e Abóbora Assada


Para participar do evento da Akemi, “Comidinhas do dia-a-dia”, posto aqui algo que faço muito (o arroz verde), algo que faço raramente (carne de panela) e algo que nunca havia feito (abóbora assada). Embora eu não goste muito de arroz, acho ele essencial com carne vermelha e gosto sempre de adicionar a ele algum legume, como cenoura ralada ou milho verde, ou então faço ele assim verdinho. Apesar de gostar muito de abóbora, nunca havia feito assada e ficou muito bom, ainda que eu tenha sido tímida no tempero com medo de ficar exagerado. Tomei como base uma receita do Jamie Oliver e outra da Valentina, ambas picantes. Foi um almoço bem simples e aconchegante.

Arroz verde: a diferença de preparo é somente na água de cozimento, que eu bato no liquidificador com um ramo inteiro de coentro (folhas e talos). Esse arroz combina muito bem com qualquer carne assada, principalmente com frango, e até quem não gosta de coentro se rende.

Para a carne eu uso bifes bem grossos de lagarto (1 kg) e tempero com 1 colher (sopa) de sal, 2 dentes de alho amassados, 1 cebola picada grosseiramente, pimenta-do-reino a gosto e 1/2 xícara de vinagre. Furo a carne e deixo no tempero por 2 horas na geladeira. Depois, frito a carne com um pouco de óleo na panela de pressão, cubro com água e fecho. Depois de chiar, conto 50 minutos. Nessa hora eu abro a panela, retiro o caldo para usar em outra receita (ou então faço um pirão, pra acompanhar) e deixo mais uns minutos na pressão pra carne ficar mais sequinha.

A abóbora que eu usei foi a abóbora-menina, aquela de pescoço, que lembra a butternut squash. Corte a abóbora no comprimento em 8 fatias e arrume-as numa assadeira com óleo ou azeite, sal e pimenta. Acrescente temperos e especiarias: eu usei orégano seco, alho em flocos, páprica doce e chili em pó. Só não usei coentro pois já tinha no arroz e na pressa esqueci de acrescentar 2 pimentas dedo-de-moça. Leve para assar em 200° por cerca de 30 minutos (eu deixei mais pois queria bem macia).

13

Bolo Podre da Ilha da Madeira


Bolo natalino em pleno junho pode parecer estranho, mas faz tempo que eu queria provar desse bolo que a Karen postou e que ela pegou com a Elvira. Bolos úmidos e quebradiços são meu ponto fraco e esse ficou bem saboroso, apesar de eu não ser fã de frutas cristalizadas. A melhor parte é a maciez do bolo com a crocância das amêndoas – cuja pele a Karen ensina a tirar aqui. É um bolo delicado, tem que ter cuidado na hora de desenformar e cortar, pois ele esfarela bastante.

Ingredientes:
360 g de açúcar demerara (ou orgânico)
100 g de manteiga amolecida
2 ovos
1 xicara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de melado de cana (mel-de-engenho)
220 g de farinha de trigo
2 colheres (café) de fermento em pó
130 g de amêndoas sem pele em lascas
130 g de uvas passas sem semente
130 g de frutas cristalizadas picadas

Bater muito bem o açúcar com a manteiga. Adicionar os ovos, o leite e o melado. Bater até que fique homogêneo. Peneirar a farinha com o fermento e adicionar à mistura. Misturar bem e acrescentar as amêndoas e as frutas (passadas anteriormente por um pouco de farinha de trigo).
Untar uma forma redonda (cerca de 23 cm de diâmetro e bem alta), cobrir o fundo com papel manteiga. Espalhar a massa e assar por cerca de 1 hora a 180° (o meu assou em 50 minutos). Retirar do forno e deixar esfriar antes de servir.

Fonte: Kafka na Praia.

24

Madeleines de Flor de Laranjeira

Quando ganhei as forminhas de madeleines da Valentina, pus-me a procurar receitas de todo tipo, mas quis começar com as mais tradicionais possíveis, pra entender melhor esses “bolinhos pequenos e cheios chamados madalenas e que parecem moldados na valva estriada de uma concha de São Tiago*”. Pois bem, elas são realmente especiais, não só no formato quanto no sabor e aroma, que exala por toda a casa enquanto assam. É como comer uma nuvenzinha de bolo! Escolhi uma receita da própria Valentina, com a diferença de que ela usou água de rosas e eu fiz com água de flor de laranjeira, ingrediente usado nas receitas mais tradicionais, pelo que pude perceber. O legal é que a receita deu exata para a quantidade de forminhas: e mesmo usando outras receitas, como ela é de silicone, dá pra fazer várias fornadas, sem precisar untar! Dêem uma olhada nas fotos para verem como são lindos meus presentes!

*Michel Proust – No Caminho de Swann.

Ingredientes:
50 g de manteiga sem sal
1 ovo grande
40 g de açúcar
Pitada de sal
45 g de farinha de trigo
1 colher (chá) de água de flor de laranjeira (ou água de rosas)
Açúcar de confeiteiro para polvilhar

Derreta a manteiga em temperatura baixa e deixe esfriar. Bata os ovos, o açúcar e o sal por aproximadamente 5 minutos – a consistência deve ser de maionese. Peneire a farinha de trigo por sobre a massa e misture tudo, levemente, com uma colher de pau (ou com uma bela espátula vinda da Inglaterra):

Usando um pouquinho da manteiga derretida, unte as formas de madeleine e o resto incorpore à massa. Acrescente também a água de flor de laranjeira e mexa tudo delicadamente. Cubra a tigela com filme plástico e ponha na geladeira por 1 hora. Quando retirar da geladeira deixe em temperatura ambiente por 30 minutos. Enquanto isso, esquente o forno em temperatura de 220°.

Divida a massa entre as formas. Não encha demais as conchinhas pois crescem muito. O tempo no forno é de aproximadamente 5 minutos para forminhas pequenas, as minhas demoraram uns 15 minutos. Fique de olho. Retire e deixe esfriar numa grelha. Polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir. Rendeu exatamente 9 madeleines, mas segundo a Valentina, rende mais de 40 mini-madeleines.

Fonte: Trem Bom.