14

Bolo de Banana e Chocolate [também com versão sem glúten e sem lactose]

Esse é o bolo ideal para aproveitar aquelas 2 bananas que sobram na fruteira e ninguém quer mais. Extremamente macio, cheiroso e saboroso e incrivelmente fácil de fazer, sem necessidade de batedeira ou mesmo liquidificador. É uma massa típica de muffin, então pode ser assada em forminhas, caso queira (atente apenas para o tempo de forno, que deve diminuir).
Como essa receita já foi muito publicada (mais um sinal de que é boa), deixo aqui as quantidades de meia receita, que acho mais adequada pra mim.

Ingredientes:
125 g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
65 g de manteiga sem sal derretida
125 g de açúcar
2 bananas prata maduras amassadas
1 ovo
1/2 colher (chá) de baunilha
90 g de chocolate meio amargo picado

Ingredientes (versão sem glúten e sem lactose):
125 g de farinha sem glúten (já usei a Mix Dolci, da Schar, mas 100 g de farinha de arroz + 25 g de amido de milho é a mesma coisa)
1 colher (chá) de fermento em pó
65 g de óleo vegetal
125 g de açúcar
2 bananas pratas maduras amassadas
1 ovo
1/2 colher (chá) de baunilha
80 g de chocolate amargo sem leite picado (uso uma barra de chocolate vegetal Chokolah, 62%)

Numa tigela grande, peneire a farinha e o fermento. Junte o chocolate, misture um pouco e reserve. Noutra tigela, misture o açúcar, a banana, o ovo, a baunilha e a manteiga (ou óleo) já derretida. Despeje sobre a farinha reservada e junte tudo grosseiramente, apenas para que fique misturado. Leve ao forno preaquecido (180°) numa fôrma de 10cmx20cm (forma inglês pequena) por cerca de 40 minutos, ou até que fique bem dourado e passe no teste do palito. Deixe esfriar por 5 minutos na forma para então desenformar e esfriar sobre grade.

Fonte: Technicolor Kitchen e Feijão no Prato.

Anúncios
6

Pizza de Presunto de Parma e Maçã


Uma das coisas que gosto muito de fazer é reunir os amigos para jogos de tabuleiro. É o tipo de atividade que rende muitas risadas e discussões divertidas e é uma grande desculpa de interação real com as pessoas, numa época em que a gente só vê os amigos pelas fotos das redes sociais. Acaba que às vezes a gente mais conversa do que joga, mas é isso mesmo que é a melhor parte. Outra parte boa é a comida, e dessa vez eu preparei minha massa de pizza preferida e compartilho aqui a receita, especialmente para minhas amigas Carlinha e Juliana.
Essa cobertura de presunto de Parma e maçã inventei na hora e fez o maior sucesso, mas também fiz algumas margheritas à minha moda: tomates cereja, tomate seco, azeitona, manjericão e um pouco de parmesão.

Ingredientes para a massa estilo italiana (3-4 pizzas grandes):
400 ml de água morna
150 ml de azeite de oliva comum (ou outro óleo vegetal)
10-20 g de fermento biológico seco* (usei 15 g, dessa vez)
20 g de açúcar
10 g de sal
1 kg de farinha de trigo (aproximadamente, geralmente uso bem menos)

Misture todos os ingredientes, com exceção da farinha de trigo e vá acrescentando a farinha até dar o ponto de soltar dos dedos. Sove por alguns minutos e deixe crescer até dobrar de tamanho, numa vasilha coberta com um pano, num local que não receba correntes de ar. Divida a massa em 3 partes (ou 4, se quiser bem fininha), abra com um rolo cada uma e cubra com um molho de tomate, queijo mozarela e demais ingredientes de sua preferência. Leve para assar num forno preaquecido bem alto por cerca de 10 minutos.

Cobertura: 150 g de presunto de Parma + 2 maçãs fatiadas, cozidas em calda rala de açúcar (Misture 2 colheres (sopa) de açúcar e 1/4 de xícara de água, junte as maçãs e deixe ferver até as maçãs ficarem levemente translúcidas).

*A quantidade de fermento usada vai depender da temperatura ambiente e do tempo de crescimento da massa. Se você fizer a massa com muita antecedência, pode usar menos fermento (10 g, por exemplo, numa espera de até 5 horas, no máximo).

Fonte (da massa): Curso de Confeitaria do Senac.

20

Loaf de Frutas Amanteigado


Ter um plano traçado é útil e prático. Mas deixar as coisas ao acaso de vez em quando pode ser bem interessante pra vida, ainda que arriscado e romântico. Quase nada arriscado se for uma simples receita escolhida ao acaso abrindo um livro delicioso da Donna Hay. E pra provar como às vezes o destino pode ser bondoso, é um bolo extremamente simples e prático de fazer, com uma textura macia, melhor que muitos bolos que precisam de batedeira, e ainda por cima eu tinha adquirido recentemente uma fôrma pequena ideal para a receita.
O original é feito com tâmaras e pecãs, mas você pode usar quaisquer tipos de frutas secas. Caso não tenha a fôrma desse tamanho, vale a pena dobrar a receita, pois é um loaf bem pequeno.

Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo
1 e 1/2 colher (chá) de fermento em pó
2/3 de xícara de açúcar refinado (usei cristal)
1/2 xícara de cranberries secas
1/2 xícara de uvas passas
1/2 xícara de castanhas-do-Pará picadas grosseiramente
125 g de manteiga
1/4 de xícara de leite
2 ovos

Preaqueça o forno em 160° (baixo). Numa vasilha grande, peneire a farinha e o fermento. Adicione o açúcar, as frutas e a castanha e misture tudo. Reserve.
Leve a manteiga e o leite ao fogo apenas para derreter. Adicione tudo à mistura de farinha, juntamente com os ovos e mexa até que esteja homogêneo (não precisa bater ou misturar demais).
Despeje a massa numa fôrma de 10cmx20cm (forma inglês pequena) e asse por cerca de 1 hora e 15 minutos ou até que passe no teste do palito (o meu assou em 1 hora e 5 minutos). Deixe esfriar por 5 minutos na forma.

Fonte: Modern Classics, Book 2 – Donna Hay.

2

Risoto de Ervilha Torta


Apesar de não ser fã do arroz de cada dia, acho os risotos deliciosos: têm o conforto de uma sopa e a praticidade de uma macarronada. Esse eu fiz me baseando em uma receita aqui e ali, mas principalmente depois de ter assistido a um episódio do “Refeições de Jamie Oliver em 30 minutos” em que ele prepara um risoto. No momento, as receitas rápidas e simples estão me ganhando.

Ingredientes:
200 g de ervilha-torta limpa e cortada em pedaços médios (retire os fios laterais)
1 talo de aipo picado
1 cebola pequena picada
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 xícara de arroz para risoto (usei arbóreo)
1/2 xícara de vinho branco
800 ml de caldo de legumes (ou de água, se usar um cubo)
Uma pitada de alecrim ou tomilho
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Parmesão ralado a gosto (no mínimo 1/2 xícara)
1 colher (sopa) cheia de manteiga

Deixe os ingredientes separados e prontos pra serem usados. O caldo ou a água devem estar quentes, numa panela em fogo baixo. Numa caçarola alta, refogue a cebola e o aipo no azeite até que fiquem perolados, em fogo médio. Junte o arroz e refogue um pouco, mexendo bem. Junte o vinho e deixe que ele seja absorvido pelo arroz. Em seguida, adicione uma concha de caldo (ou um cubo de caldo de legumes com uma concha de água quente), mexa bem e deixe que tudo seja absorvido pelo arroz antes de colocar mais uma concha. Vá acrescentando uma concha por vez, mexendo bem e deixando que o arroz absorva tudo. Quando o arroz estiver quase al dente, junte a ervilha torta e misture, temperando com ervas, sal e pimenta a gosto, se necessário. É bom ter água quente extra caso o arroz seque muito. Quando o arroz estiver no ponto, junte a manteiga e o parmesão e mexa bem, adicionando um pouco de água, se precisar. O risoto deve ficar bem cremoso e escorregadio. Sirva na hora.