16

Bolo Fudge de Chocolate

Se você nunca tentou fazer um bolo festivo, poderia começar com esse. A massa é muito fácil de fazer e não requer batedeira ou técnica avançada. O segredo é apenas retirar do forno na hora certa, mas para isso é só ficar atento nos últimos minutos. A cobertura, então, é maravilhosa, rápida de preparar e aplicar: as pessoas irão pensar que você passou meia hora alisando o bolo com a espátula. E como se não bastasse, é um bolo maravilhosamente delicioso e úmido, daqueles que você sabe que irá preparar muitas vezes.

Bolo
Ingredientes:
150 g de chocolate meio amargo picado
2 xícaras (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de leite + 1/2 xícara (chá) de água (usei 1 xícara de leite desnatado)
110 g de manteiga sem sal
1/3 de xícara (chá) de óleo (canola ou girassol)
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
4 colheres (sopa) de cacau em pó
1 pitada de bicarbonato de sódio
3 colheres (chá) de fermento em pó
2 ovos
Manteiga e Farinha de trigo, para untar e polvilhar

Cobertura
Ingredientes:
300 g de chocolate meio amargo grosseiramente picado
150 ml de creme de leite fresco
70 g de manteiga
1/2 xícara (chá) de lâminas de amêndoas torradas para decorar

Preaqueça o forno a 180°. Unte com manteiga uma fôrma redonda de 25 cm de diâmetro. Forre o fundo com papel manteiga, unte por cima do papel e polvilhe levemente com farinha de trigo (se quiser pode dispensar o papel, mas eu gosto de usar em bolos úmidos como esse). Numa panela, misture o chocolate picado, o açúcar, o leite e a água. Leve ao fogo médio, mexendo sempre. Quando derreter, retire do fogo. À panela com a mistura de chocolate, junte a manteiga e o óleo, deixando a manteiga derreter. Misture apenas para incorporar. Numa tigela grande, peneire a farinha, o cacau em pó, o bicarbonato e o fermento em pó. Despeje por cima a mistura de chocolate e misture bem. Adicione um ovo de cada vez, misturando bem em cada adição. Transfira a massa para a fôrma e leve para assar por cerca de 30 minutos (o meu demorou um pouco mais que 35 minutos). Depois de 30 minutos de forno, faça o teste do palito no centro do bolo a cada 3 minutos: ele não pode sair muito molhado e nem seco, apenas com migalhas úmidas grudadas no palito. Deixe o bolo esfriar na própria fôrma, sobre uma grade.

Para a cobertura, leve o chocolate ao microondas por 30 segundos, apenas para que ele amoleça um pouco (ele vai parecer duro ainda, mas por dentro ele já está aquecido). Em outro recipiente, derreta a manteiga também por 30 segundos e reserve. Numa panelinha, coloque o creme de leite e leve ao fogo médio. Quando ferver, retire do fogo e despeje no chocolate amolecido. Misture bem, até obter um creme liso. Acrescente a manteiga derretida e misture novamente. Faça a cobertura quando o bolo já estiver frio (você pode preparar o bolo de véspera e deixar a cobertura para o dia), assim ela atinge o ponto de secagem mais facilmente.

Montagem do bolo: depois de desenformar o bolo no prato em que vai servir (você pode deixar o fundo do bolo como topo, pra deixá-lo mais liso na parte de cima), retire o papel manteiga e despeje a cobertura no centro do bolo. Você vai espalhar a cobertura apenas movimentando o prato, girando de forma que a cobertura vá caindo nas laterais e percorrendo todo o bolo. Dessa forma a cobertura fica bem lisa, sem necessidade de usar espátula. Se for usar espátula, use apenas nas laterais, mas não é necessário. Limpe as bordas, se quiser, caso tenha escorrido muita cobertura no prato. Distribua as amêndoas na borda do bolo (eu acabei colocando nas laterais também, mas é um trabalho desnecessário). A cobertura deve endurecer levemente, mas continua macia e brilhante.

Fonte: No Calor do Fogão e Panelinha.

Anúncios
8

Waffle Integral com Cobertura de Maçã Caramelizada

Ultimamente estou numa fase em que tudo que compro tenho que fazer valer. Afinal, livros são para ler, filmes são para assistir, roupas são para usar, maquiagem é para enfeitar o rosto, e não a penteadeira. Nada de produtos encostados: se comprou, tem que usar! Essa atitude me faz pensar melhor antes de consumir sem necessidade e até melhora os hábitos do cotidiano, pois estimula a organização.
Nesse espírito, eu procuro sempre usar os utensílios de cozinha que tendem a ficar guardados, como é o caso da máquina de waffle. Vou procurar testar mais receitas para utilizá-la, inclusive.
Para começar, uma receita antiga que tenho e nunca havia testado. Ela é indicada para quem tem máquina para waffles mais baixinhos, assim ficam mais crocantes. Mesmo assim, tentei com a minha, que é para waffles maiores, e ficaram bons. Esse waffle tem predominância salgada, mas combina bem com qualquer tipo de cobertura. Ficou ótimo com manteiga, como se fosse um pãozinho, e também ficou ótimo com essa cobertura de maçãs. Aliás, a cobertura roubou a cena e é uma ótima sugestão para panquecas também.

Waffles Salgados Integrais (com fermento biológico)
Ingredientes:
1/2 xícara de água morna
10 g (1 envelope) de fermento biológico seco
2 xícaras de leite morno
1/4 de xícara de óleo ou manteiga derretida (usei óleo de girassol)
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de mel
1 xícara de farinha de trigo integral fina*
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo branca
2 ovos ligeiramente batidos

Numa vasilha grande, misture a água e o fermento. Deixe descansar por 10 minutos em lugar protegido. Junte o leite, a manteiga ou óleo, o sal e o mel. Acrescente a farinha de trigo e os ovos e misture bem (a mistura é mole – no entanto eu acrescentei um pouquinho mais de trigo porque minha máquina faz waffles grandes). Deixe crescer em lugar protegido de correntes de ar por uns 15 a 20 minutos (a textura fica mais grossa). Cozinhe num aparelho de waffles quente, untado com óleo. Sirva com a cobertura de sua preferência.

*Na receita original é usada apenas farinha de trigo integral (2 xícaras). Ajuste conforme seu gosto.

Cobertura de Maçã Caramelizada
Ingredientes:
3 maçãs cortadas em cubinhos (ou pêras ou outra fruta de sua preferência)
1/2 xícara de mel ou glucose de milho (Karo)
1 colher (chá) de manteiga
1 pitada de canela em pó

Misture todos os ingredientes numa panela pequena e aqueça, mexendo de vez em quando, até que a mistura reduza e caramelize levemente, formando uma calda dourada em volta das maçãs. Sirva morna sobre panquecas ou waffles. Você pode preparar com antecedência e manter na geladeira por alguns dias, aquecendo na hora de servir.

Fonte: Recorte antigo de revista sem referência.

14

Brownies de Natal com Chocolate Branco e Amoras

Ontem fui na casa de uma amiga que estava comemorando seu final de graduação e quis levar-lhe algo. Ela não é muito de doces, mas estes brownies com framboesas da Akemi me pareceram algo mais azedinho e amargo para quem não é chegado no açúcar. Eu tinha certeza que tinha framboesas no freezer, mas na verdade eu só tinha amoras e mirtilos, então tive que ir de amora mesmo. Sugiro, no entanto, que use framboesas, pois apesar do sabor combinar com o chocolate, as sementinhas da amora podem incomodar. Pena que deixei o brownie passar do ponto e ele ressecou um pouco, então tenha cuidado com o tempo de forno. Uma lição que aprendi na época em que vendia brownies e que nesta ocasião acabei relaxando.

Ingredientes:
250 g de manteiga sem sal, cortada em pedaços
250 g de chocolate amargo, cortado em pedaços (usei meio-amargo)
1/4 de xícara de cacau em pó (adicionei porque o chocolate tinha pouco cacau)
3 ovos grandes
1 xícara (chá) de açúcar mascavo, medido apertado (usei metade açúcar mascavo, metade açúcar cristal)
1 xícara (chá) de farinha de trigo, peneirada
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 xícara de framboesas congeladas (usei amoras congeladas)
1/2 xícara de chocolate branco picado
Açúcar de confeiteiro para polvilhar (não usei)

Preaqueça o forno em 170°. Unte e forre com papel manteiga uma assadeira de 27x17cm. Deixe o papel sobrar um pouco para facilitar quando for retirar o brownie.
Derreta a manteiga e o chocolate juntos em banho-maria ou no microondas numa temperatura média-alta por 2 a 3 minutos, observando a cada minuto e misturando, até que fique homogêneo (aqui adicionei o cacau e misturei bem). Deixe esfriando por 5 minutos.

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até que fique um creme pálido. Junte o chocolate derretido, misture bem e incorpore a farinha de trigo e o fermento. Nesta etapa, a Akemi fez diferente e eu fiz mais ou menos como ela: misturei o açúcar e os ovos com um fouet, apenas para misturar um pouco. Juntei o chocolate, bati mais um pouco e depois incorporei a farinha de trigo e o fermento. A diferença entre as duas formas de preparo é que a primeira vai garantir uma casquinha mais grossa e crocante ao brownie, mas se você quiser uma maneira mais prática com resultado semelhante, pode dispensar a batedeira.

Despeje a metade da massa na assadeira preparada. Distribua as framboesas e o chocolate branco. Cubra com a outra parte da massa e leve para assar por 25 a 35 minutos, até que ele fique firme ao toque. O meu passou do ponto (deixei 35 minutos, mas meu forno é muito forte), então fique atento ao tempo de forno. Deixe esfriar completamente antes de cortar. A receita sugere levar para a geladeira para firmar depois de fria, mas eu não gosto de brownie na geladeira. No entanto, como esse brownie no ponto certo fica bem cremoso, talvez seja interessante deixar mesmo. Polvilhe açúcar de confeiteiro antes de servir ou embalar em celofane.

Fonte: Pecado da Gula e Taste.

14

Suflê de Banana

Depois de fazer os panetones, eu precisava aproveitar algumas claras e bananas e preparei esse suflê. Bem simples, gostoso, mas nada demais. Como eu deixei as claras passarem um pouco do ponto, a receita rendeu muito e o sabor da banana ficou um tanto fraco. Apesar disso, ficaram bem altos. Numa próxima vez, eu apelaria para uns pedacinhos de chocolate na hora de incorporar, só pra salientar mais o sabor da fruta.

Ingredientes:
2 bananas maduras
3 colheres (sopa) de água
1/3 de xícara + 1 colher (sopa) de açúcar
4 claras
Pitada de sal
Pitada de canela

Separe alguns ramequins para os suflês. A receita pede 4 unidades, mas no meu caso o suflê rendeu muito e usei o dobro. Unte-os com manteiga (pode polvilhar com açúcar, mas não fiz).

Preaqueça o forno em 200°. Processe ou amasse bem as bananas até virar um purê liso. Numa panelinha, misture 1/3 de xícara de açúcar com a água e leve para ferver. Baixe o fogo e deixe cozinhar por uns 4 minutos ou até engrossar e o açúcar dissolver. Junte a banana e a canela a essa calda e mexa só até incorporar. Reserve para que esfrie totalmente.

Bata as claras com o sal até espumar. Junte a colher de açúcar restante e bata até formar picos moles (as minhas ficaram um pouco mais firmes, talvez por isso renderam mais). Incorpore a mistura de banana nas claras em neve. Distribua nos ramequins untados e arrume-os numa assadeira. Leve para assar e imediatamente baixe o forno para 180°. Asse por 10 a 15 minutos ou até que fiquem altos e levemente dourados.

Fonte: Sugarlaws.

19

Panetone


Confesso que nunca fui muito fã de panetone ou qualquer coisa que levasse frutas cristalizadas. Mas isso porque os panetones industrializados geralmente usam frutas de péssima qualidade (mamão verde com corante). Ao fazer um caseiro, você pode escolher as frutas de sua preferência, afinal o panetone nada mais é que um pão macio e amanteigado com frutinhas. Cranberries secas, uvas passas, caju em passas… Eu usei damascos e tâmaras secas.
Nesta receita, o pão fica bem com textura de brioche. A distribuição das frutas não ficou perfeita, mas acredito que é porque eu deixei a massa bem úmida, não queria que ele ficasse seco depois de esfriar. É uma ótima receita pra quem nunca fez panetone, se você já fez qualquer pão com sova, não tem mistério nenhum, tanto que no dia seguinte eu fiz novamente.

Ingredientes:
400 g de farinha de trigo (mais 1/4 de xícara para dar o ponto)
1/2 colher (chá) de sal
5 g de fermento biológico seco (ou 15 g do fresco)
120 ml de leite morno
2 ovos levemente batidos
2 gemas
6 colheres (sopa) de açúcar
150 g de manteiga em temperatura ambiente
150-200 g de frutas secas de sua preferência (usei damascos e tâmaras)
1 colher (sopa) de rum (dessa vez usei Cointreau)
1/2 colher (sopa) de extrato de baunilha
Raspas de 1 limão (usei algumas gotinhas do sumo também)
1 pitada de noz moscada
Manteiga derretida para pincelar (1 a 2 colheres de sopa)

Prepare um recipiente fundo para assar o panetone. Eu usei uma lata (daquelas de cereais) com 13 cm de altura e 13 cm de diâmetro pois eu queria que ficasse bem alto (a receita original sugere uma forma funda de 15 cm de diâmetro). Se usar uma lata (veja aqui como preparei a lata), coloque uma assadeira pequena embaixo para servir de apoio na hora em que for retirar do forno. Você pode usar uma forma grande de suflê ou formas de papel próprias para panetone. Unte bem a sua forma com manteiga e, usando papel manteiga, faça um círculo para forrar o fundo da forma e um cilindro para forrar as laterais, de forma que este cilindro seja mais alto que ela, passando uns 8 cm, para que o pão tenha bastante espaço para crescer. Este da foto ficou com 18 cm de altura depois de assado.

Peneire a farinha de trigo e o sal numa tigela grande e faça um buraco no centro. Misture o fermento com o leite morno e despeje sobre esse buraco, juntamente com os ovos inteiros. Vá misturando com um garfo, somente no centro, adicionando, com o movimento, a quantidade de farinha de trigo necessária para que se forme uma pasta grossa. Polvilhe um pouco de trigo sobre essa pasta e leve para um local sem correntes de ar para descansar por 30 minutos e formar a esponja.

Agora adicione as gemas e o açúcar e misture tudo, inclusive o trigo que ficou nas laterais da tigela, até formar uma massa macia. Incorpore a manteiga e leve para sovar numa bancada levemente enfarinhada. Nessa etapa a massa fica bem mole. Você pode acrescentar mais um pouco de farinha, se for necessário. Eu usei 1/4 de xícara a mais. O ponto é uma massa lisa e úmida, mas que solta levemente das mãos, não acrescente farinha demais. Para que não grude tanto, use uma espátula de silicone ou raspador para ajudar a soltar da bancada. Sove por uns 5 minutos. Volte-a para a mesma tigela (se usar outra tigela, unte levemente com manteiga), cubra com filme plástico e/ou um pano e deixe crescer por 1 hora e meia a 2 horas, num local sem correntes de ar, até que dobre de tamanho.

Enquanto isso, pique as frutas e coloque-as num recipiente com o rum, as raspas de limão, a baunilha e a noz moscada. Misture tudo e reserve. Terminado o descanso, soque a massa e despeje-a sobre a bancada novamente (levemente enfarinhada). Adicione as frutas e incorpore-as na massa levemente. Faça uma bola e despeje com cuidado na forma preparada. Cubra com um pano e leve para crescer, dessa vez por 1 hora ou até que dobre de tamanho. Faltando uns 20 minutos para terminar o descanso da massa, acenda o forno em 200°.

Faça um corte de cruz no topo da massa e pincele com metade da manteiga derretida. Asse o pão por 20 minutos. Abra o forno, pincele novamente o topo com o restante da manteiga e abaixe a temperatura para 180°. Asse por mais 25 a 30 minutos, ou até que esteja bem dourado. Deixe esfriar por 10 minutos antes de desenformar. Esfrie em grelha.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.