10

Nhoque de Batata

Mal a Eliana posta sua receita de nhoque e eu já corro para a cozinha prepará-la, afinal hoje é um dia 29 especial e eu estava desejando um bom nhoque há meses. Essa massa é daquelas que derretem na boca e facílima de fazer, recomendo inclusive para iniciantes na cozinha. Não pude fazer o molho recomendado por ela porque não tinha sálvia em casa, mas improvisei com um molho de tomate comprado pronto, temperado com alho bem fresco e manjericão.

Ingredientes:
600 g de batatas
1 gema
1 colher (sobremesa) de manteiga
2 colheres (chá) de sal
3/4 xícara (chá) de farinha de trigo (e mais um pouco para enfarinhar)

Cozinhe as batatas (como eu estava com pressa, descasquei antes e cortei em pedaços médios para cozinhar mais rápido) e passe-as pelo espremedor ou amasse-as com um garfo. Deixe esfriar um pouco (uns 10 minutos na geladeira ajudam). Enquanto isso coloque uma panela com bastante água no fogo para ferver. Quando a batata esfriar, junte o sal, a manteiga e a gema. Misture bem e adicione a farinha de trigo até incorporar tudo.
Numa bancada bem enfarinhada vá fazendo cobrinhas com a massa, com a ajuda das mãos. Corte para que forme os nhoques e vá separando-os numa superfície com farinha de trigo para que não grudem uns nos outros. Cozinhe na água fervente. Eles estarão prontos quando vierem à tona, é bem rápido. Vá retirando os que ficarem prontos. Sirva com o molho de sua preferência e bastante parmesão ralado.

Fonte: Feijão no Prato.

Anúncios
16

Trufa de Chocolate com Leite de Coco

Um primo querido que é intolerante a lactose sempre me pede uma receita de trufas que não leve leite, já que é uma de suas sobremesas favoritas. Como substituição resolve todas as faltas – com exceção de pessoas que amamos -, o leite de coco me pareceu mais do que digno para entrar no lugar do creme de leite. Contudo, caso você seja muito intolerante ou mesmo vegano, observe os ingredientes na embalagem do produto pois muitos chocolates amargos têm leite na sua composição. Agora se você é apenas alguém que aprecia trufas como eu, garanto que vai achar estas saborosas!

Ingredientes (rende cerca de 30 trufas):
350-400* g de chocolate meio-amargo ou amargo (sem lactose, caso seja intolerante ou vegano)
200 ml de leite de coco
Cacau ou chocolate em pó para finalizar
1 colher (sopa) de licor de sua preferência (opcional, não usei dessa vez porque era presente, mas eu usaria Frangélico ou Cointreau)

*Fiz com 350 g, mas depois achei que ficaram muito macias, numa próxima eu usaria 400 g.

Pique bem o chocolate e reserve numa tigela média ou grande. Leve o leite de coco ao fogo numa panelinha e deixe até que comece a formar bolhas de fervura nas bordas, mas não deixe ferver. Cubra o chocolate com o leite de coco aquecido e misture até que fique homogêneo. Leve para a geladeira por 1 a 3 horas, ou até que fique com uma boa consistência para enrolar. Forme bolinhas (sem perfeição: a ideia é que fiquem um pouco disformes) e passe no cacau. Se não for consumir logo, manter em geladeira.

12

Trifle de Framboesa e Creme de Queijo

Embora eu ache a data muito fofa, não costumo comemorar o Valentine’s Day. Ainda assim não consigo deixar de lembrar de duas coisas: o Charlie Brown levando sua maletinha pra escola, esperando receber muitos cartões, e sobremesas feitas com morango ou framboesas.
Este trifle é tão simples de fazer que nem precisa esperar por datas especiais, como vocês podem ver no vídeo abaixo. Ainda assim fiz algumas alterações na receita original, apenas para que ficasse mais prática pra mim. Então, se você gosta de fazer algo especial para essa data, mas em plena terça-feira não se programou, eis uma opção rápida e cheia de coraçõezinhos.

Ingredientes (4 porções):
12 biscoitos champanhe
4 colheres (sopa) de Cointreau (ou use o suco que liberar das frutas)
400 g de framboesas frescas ou descongeladas (pode ser morango, amora, mirtilo…)
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 xícara de cream cheese (originalmente mascarpone)
1/2 xícara de creme de leite
1/2 xícara de leite condensado (originalmente adoçado com açúcar)
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha

Corte os biscoitos ao meio e forre o fundo dos copos ou taças com eles, usando 3 biscoitos para cada porção. Regue-os com o licor. Misture as framboesas com o açúcar e amasse tudo com um garfo, misturando tudo. Jogue por sobre os biscoitos, distribuindo para todas as taças. Com um fouet, bata o cream cheese com o creme de leite, a baunilha e o leite condensado até que fique bem liso. Cubra a sobremesa com esse creme. Leve para gelar até a hora de servir. Caso você faça o creme com antecedência e deixe na geladeira, pode montar a sobremesa na hora de servir.

Fonte: Adaptado de Donna Hay – Fast, Fresh, Simple, Episódio 3 (Fox Life).

2

Talharim ao Vinagrete de Azeitona

O molho para este talharim é bem versátil e prático: pode ser servido fresco, sem ir ao fogo, ou levemente aquecido, como fiz, ou ainda como se fosse uma salada fria. De qualquer modo ele irá satisfazer quem estiver interessado numa refeição rápida e saborosa.

Ingredientes (2 porções):
200-250 g de talharim
1/3 de xícara (chá) de azeitonas verdes recheadas com pimentão, bem picadas
2 dentes de alho espremidos
2 cebolinhas verdes bem picadas (talos e folhas)
1 colher (sopa) de manjericão fresco picado
2 colheres (sopa) de sumo de limão
2 colheres (sopa) de vinho branco (ou 1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco)
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra-virgem
Sal* e pimenta a gosto
Parmesão ralado a gosto (dispense se quiser uma versão vegana)
Rodelas de azeitona e manjericão fresco para finalizar (opcional)

*Não usei sal no molho: a azeitona e o parmesão são suficientes para salgar o prato, contanto que o talharim seja cozido em água salgada.

Deixe cozinhando a pasta em água fervente e salgada, conforme as instruções do fabricante, enquanto prepara o molho. Este pode ser preparado frio ou quente. Misture bem as azeitonas, o alho, a cebolinha, o manjericão, o limão, o vinho ou vinagre, a pimenta e o azeite. Teste o sal. Caso queira ele frio, já estará pronto. Caso queira quente (como fiz), quando a pasta estiver cozida, aqueça o molho numa frigideira, apenas por 1 minuto, sem deixar refogar muito, e acrescente o talharim escorrido, incorporando o molho. Sirva imediatamente, com rodelas de azeitona, folhas de manjericão e parmesão ralado.

Para uma outra versão, como salada fria, misture os ingredientes do molho, com exceção do azeite, e vá batendo e acrescentando o azeite em fio, até emulsificar. Misture com o macarrão de sua escolha (já frio) e sirva frio.

Fonte: Adaptado de uma receita de salada, recorte sem referência.

20

Bolo Integral de Banana com Castanha e Chocolate

Todo mundo sabe que tudo que é fácil de gostar é também mais fácil de enjoar, mas existe o outro lado da moeda: aquelas coisas mais difíceis, com que temos que nos acostumar, podem se tornar até um vício, só é preciso ter paciência, pois elas geralmente valem o esforço. Comigo foi assim em relação a muitos alimentos, entre eles a farinha integral, quase como aquela pessoa com quem você não vai muito com a cara e de repente se torna sua melhor amiga.
Se quiser preparar esta receita com farinha refinada, não há problemas, mas eu garanto que a intenção aqui não é apenas ser mais saudável: neste caso existe um benefício em sabor e textura que irá agradar até aqueles que não curtem os integrais, pois a banana garante o aroma e a maciez do bolo, e a castanha e o chocolate coroam tudo com uma cobertura crocante, fazendo com que você passe do acostumar para o gostar numa simples mordida.

Ingredientes:
100 g (1/2 xícara) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 e 1/2 xícara de açúcar (se quiser menos doce, use apenas 1 xícara)
2 ovos
3 bananas prata bem maduras, amassadas ou picadas
1/3 de xícara de leite
1/2 colher (chá) de vinagre
2 xícaras de farinha de trigo integral
2 colheres (sopa) de amido de milho (opcional, deixa a massa mais leve)
1 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha
1/2 xícara de castanha-do-Pará ou outra castanha picada
130-150 g de chocolate picado

Misture o leite e o vinagre e deixe reservado, descansando por cerca de 20 minutos, que é o tempo em que você vai separando os outros ingredientes e começando a receita (ele deve talhar e engrossar um pouco). Unte bem uma assadeira grande retangular (32cm x 22cm, eu usei uma de 38cm x 26cm, por isso o meu bolo ficou baixinho) com manteiga. Preaqueça o forno em 180°. Na batedeira, bata a manteiga com o açúcar e os ovos, por cerca de 3 minutos. Junte as bananas e bata mais um pouco. Adicione a metade da farinha de trigo e misture bem. Agora junte o leite talhado e a baunilha, misturando. Adicione o restante da farinha de trigo, bem como o amido de milho, o bicarbonato, o sal e o fermento e incorpore tudo para que fique homogêneo. Distribua a massa na assadeira uniformemente e despeje por cima a castanha e o chocolate, cobrindo a massa. Leve para assar por 20 a 30 minutos, até que passe no teste do palito e fique dourado (o meu assou em 22 minutos, pois minha assadeira era grande). Deixe esfriar um pouco antes de cortar em quadrados.

Fonte: Adaptado de um recorte antigo.

32

A Diferença entre Muffins e Cupcakes

Mesmo com toda a popularidade de cupcakes e muffins, muitas pessoas ainda têm dúvidas de qual a diferença entre eles, muitas vezes apontada como a simples questão de ter cobertura ou não. Apesar de terem aparência semelhante e serem assados no mesmo tipo de forminhas, muffins e cupcakes representam dois tipos de bolos bem diferentes.

Muffins: o muffin é um tipo de quick bread, ou seja, sua massa é feita com uma técnica bastante simples e rápida, em que os ingredientes secos são misturados em uma tigela e os líquidos em outra, para logo em seguida todos serem misturados rapidamente (a massa não deve ser batida, apenas misturada ligeiramente com um garfo ou uma espátula, podendo até ficar encaroçada). A gordura usada no preparo é sempre em forma líquida, como óleo vegetal ou manteiga derretida, e os ovos são ligeiramente batidos, apenas para misturar. Essa técnica é a mesma usada para fazer panquecas e waffles, por exemplo. Caso você asse a massa de um muffin no formato de um bolo único (geralmente numa forma de bolo inglês), ele passa a ser chamado de Bread ou Loaf, que seria algo como um Pão-Bolo, pois a textura da massa é diferente da de um bolo propriamente dito. Exemplo de Muffin. Exemplo de Pão-Bolo.

Como é preparado para o café-da-manhã ou lanche da tarde, os muffins têm a característica de incorporar ingredientes saudáveis, como frutas, castanhas, grãos, sementes e especiarias, mas podem também receber gotas de chocolate, coberturas ou outros complementos mais festivos. O muffin é um bolo mais denso, não costuma esfarelar e tem uma aparência mais dura.

Cupcakes: o cupcake é um tipo de bolo amanteigado preparado conforme as técnicas tradicionais de bolo, geralmente iniciando o preparo batendo a manteiga e o açúcar até que forme um creme branco. A gordura usada no preparo é a manteiga em temperatura ambiente e os ovos são batidos e incorporados a esse creme (algumas receitas de bolo podem usar claras em neve separadas, mas é menos comum essa maneira ser usada em cupcakes). Exemplo de Cupcake.

O cupcake nada mais é que um bolo assado em formas individuais. No entanto, bolos muito úmidos podem soltar fácil das forminhas de papel, então as pessoas acabam usando receitas de bolo um pouco mais sequinhas para seus cupcakes, o que não é um problema, já que eles recebem uma cobertura generosa para compensar. É comum também que eles tenham recheio e sejam decorados, afinal são consumidos em situações festivas. O cupcake é um bolo mais fofo, tende a esfarelar e tem uma aparência mais macia.

O que define cada um deles, portanto, é a massa, pois mesmo que você coloque uma cobertura sobre um muffin, ele não se tornará um cupcake, será um muffin com cobertura. E mesmo que você não aplique uma cobertura em seu cupcake, ele não será um muffin.

14

Pão de Forma Simples

Muita gente me pede receitas de pão que sejam bem simples de fazer. Eu não tenho nenhuma que seja mais simples que essa: não tem sova, o crescimento é relativamente rápido, você pode usar suas formas de bolo e o preparo é o mais prático possível. A textura dele é um pouco diferente, não é um pão para sanduíches, e sim para o café da manhã ou lanche, ótimo para fazer torradas. Como ele rende bastante, você pode cortar as fatias e congelar, assim vai ter pão por muito tempo em casa.

Ingredientes:
3 ovos
1 xícara de óleo
4 xícaras de água
1/2 xícara de açúcar
1 envelope (10 g) de fermento biológico instantâneo seco (se quiser um pouco mais fofinho, pode acrescentar mais 1 colher (chá) do mesmo fermento, eu não uso porque acho mais prático usar só um envelope)
1 colher (sopa) de sal
1 kg de farinha de trigo peneirada (da qual uma parte pode ser de farinha de trigo integral, dessa vez usei 1 xícara da integral)

Misture todos os ingredientes, menos a farinha de trigo, numa tigela grande, com a ajuda de um fouet, até que fique homogêneo. Aos poucos vá acrescentando a farinha de trigo, misturando bem. Quando ficar mais pesada, troque o fouet por uma colher de pau ou espátula. A massa deverá ficar mole, grudenta, como se fosse um mingau bem grosso. Unte com um pouco de óleo 2 formas de buraco no meio de 24 cm, retirando o excesso com papel toalha. Distribua a massa nas duas formas, mas antes separe uma colherada da massa e despeje num copo d’água. Cubra as formas com um pano, em um local sem correntes de ar, e deixe descansar por 1 hora, ou até a colherada de massa do copo ir à tona. Leve para assar em forno preaquecido (180°) por cerca de 35 minutos, até que doure e passe no teste do palito.

Fonte: Adaptado de um recorte do meu caderno de receitas, sem referência.

12

Madeleines de Espinafre e Parmesão

A receita salgada do livro me agradou bem mais que a doce, ficaram com uma textura melhor e o preparo é a coisa mais fácil do mundo de fazer. Você pode substituir o espinafre por outra verdura ou mesmo por ervas de sua preferência.

Ingredientes:
100 g de farinha de trigo
2 ovos
1 e 1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal e pimenta-do-reino
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
20 g de manteiga derretida
2 colheres (sopa) de parmesão ralado
4 colheres (sopa) de leite
1 gota de molho de pimenta (Tabasco) (opcional)

30 g de espinafre, fresco ou congelado
1 pitada de noz-moscada (opcional)

Refogue o espinafre em uma panela com duas gotas de água. Escorra-o e amasse-o com um garfo, até que fique bem fino. Adicione a noz-moscada e e reserve. Misture todos os ingredientes restantes com um fouet e adicione o espinafre, misturando bem. Leve à geladeira por 30 minutos. Leve para assar no forno preaquecido de 220°, por cerca de 10 minutos em forminhas pequenas de madeleine. Rende 32 mini-madeleines. Sirva com algum molho cremoso, ou requeijão.

Fonte: Mini Madeleines – Sandra Mahut.

4

Madeleines de Maple Syrup

Apesar de não terem crescido muito, essas madeleines ficaram bem saborosas, então deixo a sugestão de que você use maple syrup na próxima vez em que for preparar suas conchinhas, com esta ou outra receita. Confesso que comecei a comê-las assistindo a um filme e quando dei por mim já iam boa parte delas!

Ingredientes:
2 ovos
150 g de açúcar
150 g de de farinha de trigo peneirada
1/2 colher (chá) de fermento em pó
125 g de manteiga sem sal em temperatura ambiente (sugiro derreter um pouco)
2 colheres (sopa) de leite
2 colheres (sopa) de maple syrup (ou mel, ou melaço de cana, ou mel-de-caju)

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até que fique um creme claro. Adicione, aos poucos, a farinha e o fermento e logo depois a manteiga e o leite. Adicione o maple syrup ou o mel, misture e leve para a geladeira por no mínimo 30 minutos. Nesse meio tempo, preaqueça o forno em 220°.
Com uma colher bem pequena, vá distribuindo a massa nas forminhas de mini-madeleine, tendo cuidado para não enchê-las demais. Asse por cerca de 10 minutos* (se for usar formas maiores, o tempo de forno será maior, é claro). Renderam mais de 80 mini-madeleines, apesar de que na receita original a informação é de que seriam 28 unidades. As da foto foram banhadas com um fio de maple syrup.

*O livro sugere que asse por 3 a 4 minutos em 220° e depois baixe o forno para 180° para que asse por mais 5 a 6 minutos, mas essa indicação não funcionou comigo.

Fonte: Mini Madeleines – Sandra Mahut.

Outras receitas de madeleines:
Madeleines de Flor de Laranjeira
Madeleines de Mel e Limão

6

Livros: Mini Madeleines – Sandra Mahut

Comprei esse livro há bastante tempo, mas nunca havia tentado uma receita dele até essa semana. Confesso que o que me chamou mais atenção na hora da compra foram as forminhas que o acompanham, afinal é sempre difícil achar forminhas de madeleine, ainda mais em versão pequena.

O livro é dividido em duas partes: madeleines salgadas e doces, em que cada uma apresenta uma receita base, de onde todas as outras vão ser apenas versões. Cada página tem uma foto, de forma que todas as receitas fiquem bem ilustradas, mas achei estranho o fato de que todas as fotos mostram outras forminhas sendo usadas, e não as que fazem parte do kit. No final de cada parte há sugestões de molhos para acompanhar, bem como dicas de como servir os bolinhos. A introdução é breve e não oferece nenhuma informação técnica ou definição sobre as madeleines em si. As forminhas são boas, mas a marquinha de concha não é muito profunda.

Testei uma versão doce e outra salgada e, nas duas vezes, tive que fazer algumas alterações no preparo relativas a tempo de forno, temperatura e rendimento. Isso seria uma enorme desvantagem para algum iniciante, que poderia achar que fez algo errado. De qualquer forma, o resultado de sabor nas duas receitas me agradou bastante, então vou postá-las depois aqui no blog. É um livro legal para presentear ou usar como complemento, mas caso você já tenha suas forminhas e suas receitas preferidas de madeleine, ele não é essencial.