15

Barrinhas de Tapioca

Conhecidas por Cuscuz de Tapioca ou Tapioca de Forma, conheci essas barrinhas na época em que fiz meu curso de Confeitaria, apesar de serem comuns no Nordeste. A textura das bolinhas macias de tapioca e o sabor do coco podem fazer uma festa num lanche da tarde ou café da manhã de final de semana. Simples e delicioso.

Flocos de Tapioca:

Ingredientes (para cerca de 16 barrinhas):
250 g de flocos de tapioca
200 ml de leite de coco
250 ml de leite
1 xícara rasa de açúcar
100 g de coco ralado
Uma pitada de sal
Leite condensado a gosto para servir

Misture os flocos, o açúcar e o sal numa tigela grande. Leve ao fogo o leite e o leite de coco, até levantar fervura, e despeje sobre os flocos, mexendo bem. Cubra e deixe descansar por 10 minutos. Junte então metade do coco ralado misture mais uma vez. Coloque a mistura num refratário (usei um quadrado de 20 cm), alise com uma colher, nivelando tudo e deixe esfriar um pouco. Salpique o restante do coco ralado, tampe com filme plástico e leve à geladeira por 4 horas. Corte em barrinhas e sirva com leite condensado. Dura vários dias na geladeira, desde que se use o leite condensado apenas nas porções que serão servidas.

Obs: a receita pode ser feita em uma versão salgada. Para isso basta retirar o açúcar e acrescentar um pouco mais de sal. Pedaços de queijo coalho ou parmesão ralado também é uma boa. Nesse caso você poderia servir com requeijão ou manteiga.

Anúncios
12

Trifle de Framboesa e Creme de Queijo

Embora eu ache a data muito fofa, não costumo comemorar o Valentine’s Day. Ainda assim não consigo deixar de lembrar de duas coisas: o Charlie Brown levando sua maletinha pra escola, esperando receber muitos cartões, e sobremesas feitas com morango ou framboesas.
Este trifle é tão simples de fazer que nem precisa esperar por datas especiais, como vocês podem ver no vídeo abaixo. Ainda assim fiz algumas alterações na receita original, apenas para que ficasse mais prática pra mim. Então, se você gosta de fazer algo especial para essa data, mas em plena terça-feira não se programou, eis uma opção rápida e cheia de coraçõezinhos.

Ingredientes (4 porções):
12 biscoitos champanhe
4 colheres (sopa) de Cointreau (ou use o suco que liberar das frutas)
400 g de framboesas frescas ou descongeladas (pode ser morango, amora, mirtilo…)
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 xícara de cream cheese (originalmente mascarpone)
1/2 xícara de creme de leite
1/2 xícara de leite condensado (originalmente adoçado com açúcar)
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha

Corte os biscoitos ao meio e forre o fundo dos copos ou taças com eles, usando 3 biscoitos para cada porção. Regue-os com o licor. Misture as framboesas com o açúcar e amasse tudo com um garfo, misturando tudo. Jogue por sobre os biscoitos, distribuindo para todas as taças. Com um fouet, bata o cream cheese com o creme de leite, a baunilha e o leite condensado até que fique bem liso. Cubra a sobremesa com esse creme. Leve para gelar até a hora de servir. Caso você faça o creme com antecedência e deixe na geladeira, pode montar a sobremesa na hora de servir.

Fonte: Adaptado de Donna Hay – Fast, Fresh, Simple, Episódio 3 (Fox Life).

9

Bolinho de Anjo com Brigadeiro de Abacaxi ao Vinho Branco

Não foi fácil fazer uma sobremesa em equipe, foi bem mais difícil que eu imaginei. Principalmente porque a maior parte das pessoas estava bem sem vontade e eu cheguei mesmo a desistir por ver que só eu estava empolgada. No último minuto improvisamos algumas idéias e saiu esta sobremesa, que ficou bem saborosa pro meu gosto. Apesar do brigadeiro ser doce, a redução e o abacaxi são ácidos e a castanha faz a parte crocante. A crítica que recebemos da professora foi só estética: ela queria mais contraste no prato, apesar de termos explicado que a idéia era uma coisa meio diáfana mesmo, pra combinar com o bolo de anjo, como se fosse uma sobremesa angelical (a foto não ficou boa pois tirei no meio da avaliação e a luz da sala não favoreceu). Se tivéssemos usado chocolate ou canela, pelo menos pra mim, teria estragado o sabor do prato, mas o que importa é que no final tudo se resolveu e todos da equipe ficaram satisfeitos.

Ingredientes:
Bolo de anjo (Le Cordon Bleu) (4 porções):
4 claras
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha
1/2 colher (sopa) de cremor tártaro
90 g de açúcar
30 g de farinha de trigo peneirado
10 g de amido de milho peneirado

Bata as claras com o extrato até que fiquem fofas e esbranquiçadas. Adicione o cremor e bata até endurecer. Junte o açúcar aos poucos e depois incorpore com uma espátula a farinha e o amido peneirados. Distribua a massa em 4 forminhas de buraco no meio (usei umas de silicone). Bata as formas numa bancada para baixar um pouco a massa, a fim de que não fique buracos nos bolinhos. Asse por cerca de 15 minutos ou até crescer e dourar. Deixe esfriando de cabeça pra baixo sobre uma grade. Desenforme com cuidado.

Brigadeiro de Abacaxi ao vinho branco e castanha-do-pará
Faça um brigadeiro branco com 1 lata de leite condensado, 1 colher (sopa) de manteiga e 1/2 xícara de castanha-do-pará picada. Deixe cerca de 2 xícaras de abacaxi picado de molho em vinho branco (1/4 de garrafa) por várias horas (pode ser de véspera). Escorra o vinho e misture o abacaxi ao brigadeiro já pronto. Preencha o buraco do bolo de anjo com o brigadeiro.

Redução de vinho branco
Deixe reduzir os 3/4 da garrafa de vinho com um pouco de açúcar até que fique levemente caramelado e grosso. Use para finalizar o bolo de anjo.

29

Brigadeiro de Cerveja e Ovomaltine


Minha equipe no curso tem que criar uma sobremesa até quinta-feira e então passei o feriado fazendo experiências pra ver se chegava a idéias legais. Fiz várias reduções e uma das que mais gostei foi a de cerveja, que acredito ser mais usada em pratos salgados. Eu adoro sabores maltados e então misturei com ovomaltine e saiu esse brigadeiro, que aqui foi usado como recheio de bombom. A redução e/ou o próprio brigadeiro podem ser um elemento na sobremesa, se minha equipe concordar, é claro.
Se alguém se interessar em tentar, é só levar ao fogo cerveja puro malte com um pouco de açúcar e deixar reduzir. Misturar com o brigadeiro comum feito com ovomaltine.

13

Musse de Castanha


Eu sempre tive muito medo de musses por causa das claras cruas, mas agora que aprendi a fazer merengue suíço, não há mais desculpas. Eu já havia postado uma musse de castanha aqui no blog, mas elas são bem diferentes. Esta fica mais leve, mais aerada e com mais gosto de castanha, já que a outra leva suco de caju. Juntei umas raspinhas de chocolate, ficou gostoso.

Ingredientes:
200 g de castanha-de-caju
1 lata de leite condensado
8-12 g de gelatina em pó sem sabor (conforme queira mais firme)
2 claras (ovos grandes)
130 g de açúcar
200 g de creme de leite fresco

Bata a castanha no liquidificador com um pouco de água para formar uma pasta. Adicione o leite condensado e bata mais um pouco, para misturar (se preferir, misture fora do liquidificador, contanto que fique bem homogêneo). Reserve.

Agora faça um merengue suíço, despejando as claras e o açúcar numa tigela em banho-maria, batendo com um fouet até o açúcar dissolver (cuidado para as claras não cozinharem). Leve essa mistura para bater em velocidade alta até o merengue formar picos. Reserve.

Aproveitando o banho-maria, aqueça o creme de castanha e adicione a gelatina, batendo bem para dissolver.

À parte, bata o creme de leite em velocidade baixa, só até ganhar um pouco de consistência, não deixe virar chantilly.

Junte, aos poucos, o merengue* ao creme de castanha, com cuidado. Por último, incorpore o creme batido.

Leve à geladeira por algumas horas antes de servir. Junte chocolate ralado, se desejar.

*Rende bastante merengue, usei apenas uma parte (cerca de 100g) e usei o resto para fazer suspiros.

Fonte: Baseado na idéia básica de musse, no livro “Técnicas da Confeitaria Profissional”, de Mariana Sebess.

33

Pavê de Cerejas


Essa sobremesa foi levada para casa de amigos onde festejamos a passagem de ano. Sei que todo mundo sabe fazer um pavê como esse, mas trago a sugestão porque ficou bem ao meu gosto. As quantidades de uma receita como essa nunca são muito precisas, pois acabamos fazendo uma camada a mais ou uma a menos segundo a vontade e o formato do recipiente (usei uma taça gigante e recomendo: fica bonito e dá pra fazer sabores diferentes, um na parte de cima, outro na parte de baixo). Se eu fosse fazê-la de novo não usaria as nozes e colocaria mais chocolate, mas mesmo assim ficou bom. Feliz Ano Novo! 😀

Ingredientes:
300 g de cerejas frescas ou (des)congeladas (pesadas já sem sementes) picadas ligeiramente + algumas inteiras para decorar
Suco que escorrer das cerejas ao tirar-lhe as sementes
8 colheres (sopa) de geléia de cerejas ou de frutas vermelhas
1 xícara de leite (mais ou menos)
100-150 g de chocolate meio-amargo ralado
2 pacotes (180 g cada) de biscoito champagne
2 caixinhas de creme de leite (pode usar chantilly, se quiser)
Nozes picadas a gosto (opcional)

Creme de baunilha:
2 latas de leite condensado
2 medidas de leite a partir da lata de condensado
1 colher (sopa) rasa de manteiga
2 colheres (sopa) de amido de milho
1 colher (sopa) de extrato ou essência de baunilha
1 gema

Primeiro prepare o creme de baunilha, misturando numa panela o leite condensado, o leite, o amido de milho, a gema e a manteiga. Leve tudo ao fogo até engrossar e começar a borbulhar. Acrescente a baunilha, mexa e deixe esfriar.
Despeje o sumo que tiver formado das cerejas num prato fundo e complete com um pouco do leite. Nessa mistura mergulhe cada biscoito e arrume-os no recipiente do pavê, cobrindo o fundo. Vá acrescentando mais leite ao prato, à medida que for precisando. A segunda camada será de creme de baunilha. A terceira, de cerejas. Cubra as frutas com um pouco de creme de leite e um pouco de geléia. Em seguida faça uma camada fina de chocolate ralado ou de nozes. Comece tudo de novo: biscoitos umedecidos, creme de baunilha, cerejas, creme de leite, geléia, chocolate ou nozes (revezando estes). A quantidade de camadas vai depender do recipiente usado e a última será de chocolate ralado. Decore com cerejas, de preferência uma pra cada pessoa que irá saborear a sobremesa. Leve à geladeira por várias horas, se possível faça de véspera.

37

Sorvete de Torta de Limão


Frequento uma sorveteria que vende um delicioso sorvete de torta de limão. Dia desse o sabor estava em falta e eu fiquei uma semana desejando aquele sorvete. Até que resolvi tentar fazer parecido. Igual não ficou, mas chegou perto. Ainda falta um pouquinho mais de azedo, talvez mais raspas de limão, mas o fato é que ficou bem gostoso e cremoso, com uma textura bem diferente dos demais sorvetes caseiros.

Ingredientes:
2 caixinhas de creme de leite (ou 2 xícaras de creme de leite fresco)
1 lata de leite condensado
1/4 de xícara de água fervente
1/2 xícara de leite (usei desnatado)
1 pacote de gelatina* sabor maracujá ou abacaxi
Raspas de 1 limão siciliano (ou de 2 limões verdes)
Sumo de 1 limão siciliano ou verde
Cerca de 100 g de biscoitos tipo Maizena (pode ser menos) em pedaços.

Dissolva a gelatina na água quente. Junte o leite e mexa, só para esfriar a temperatura. Despeje no liquidificador e bata junto com todos os ingredientes, com exceção dos biscoitos. Depois de bater bem e ficar homogêneo, leve a mistura para a geladeira por algumas horas. Provavelmente ela virará uma musse, mas não há problema, é só levar essa musse para bater na sorveteira, de acordo com as instruções da máquina. Depois de pronto, incorpore os biscoitos ao sorvete e leve ao freezer até chegar na consistência desejada. Como é uma receita grande, tenha cuidado se a sua sorveteira irá comportar o volume, pois rende um pouco mais que 1 litro e meio de sorvete. A minha tem exatamente essa capacidade, mas quando o sorvete fica pronto, quase chega a transbordar.

*Usei o de maracujá dessa vez, mas acredito que fique melhor com o de abacaxi, irei experimentar numa próxima vez. Já fiz com gelatina de limão, mas fica com uma cor muito “infantil” e um sabor um pouquinho artificial, mas gostoso também.
*Se não quiser usar a gelatina, substitua a água pela mesma quantidade de leite e corte o ingrediente da receita, mas aí eu não garanto que ficará com a mesma textura, pois nunca fiz dessa forma.

19

Coquetel de Frutas


Essa receita participa do evento Chá da Tarde de Julho – Bebidas, da Cris e da Leila. Elas estão coletando bebidas que possam ser servidas num chá da tarde e lembrei deste coquetel que uma amiga ofereceu em seu aniversário. Tudo porque no casamento dela, meses antes, o bufê de chá havia oferecido uma bebida semelhante e ficamos tentando imaginar o que havia dentro. O sabor era de morango, mas ao mesmo tempo dava para perceber que não tinha a fruta. Até que a mãe dela chegou nessa receita e acabou que o resultado foi melhor do que a bebida inspiradora. Fica cremoso, mas é bem refrescante. E tem tudo, menos morango, mas quem beber vai achar que tem.

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 medida da lata de suco concentrado de uva
1 medida da lata de suco concentrado de abacaxi
1/2 medida da lata de suco concentrado de maracujá
1/2 medida da lata de xarope de groselha

Bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar bem homogêneo. Leve à geladeira por várias horas antes de servir.

Fonte: Minha amiga Zeal.

19

Creme de Pêssego e Castanha-do-Pará


Lendo o artigo da Neide sobre pêssegos em calda me deu vontade de preparar esta sobremesa que eu costumava fazer há um tempo atrás (cuja receita me foi passada por uma amiga). Assim como os docinhos de caju cristalizados ou as latinhas de marrom-glacê ou as geléias de mocotó, as latas de pêssegos estão agora na seção “nostalgia” do supermercado. Talvez até o leite condensado – apesar de ainda extremamente popular – vá perdendo sua força, já que uma grande crítica feita aos doces brasileiros é que todos são muito doces e que a maior parte deles é feita com a latinha acinturada. Pois eis aqui um bom exemplo, mas fazer o quê? Fica muito bom e a maioria das pessoas gostam, principalmente o cearense, que é louco por açúcar.
É uma receita que muita gente deve ter parecida em casa, uma camada feita com amido e leite condensado, outra com pedaços de fruta em calda, outra de creme batido com fruta. A castanha-do-pará ficou por minha conta e achei que combinou bem com o pêssego.

Ingredientes:
2 latas de leite condensado
2 medidas de leite a partir da lata de condensado
1 colher (sopa) rasa de manteiga
2 colheres (sopa) de amido de milho
1 colher (sopa) de baunilha
1 gema
1 lata de pêssego em calda (ou outra fruta)
2 caixas ou latas de creme de leite
100 g de castanha-do-pará trituradas

Misture numa panela o leite condensado, o leite, o amido de milho, a gema e a manteiga. Leve tudo ao fogo até engrossar e começar a borbulhar. Acrescente a baunilha, mexa e deixe esfriar.
À parte, passe umas quatro metades de pêssego no liquidificador juntamente com o creme de leite e um pouco de calda de pêssego (vai depender se quer mais ou menos doce). O que sobrou da fruta corte em pedacinhos.
Para montar, numa travessa ou em taças, coloque uma camada do creme com leite condensado, depois espalhe por cima os pedaços de fruta. Em seguida acrescente o creme batido com pêssego. Sobre tudo espalhe a castanha. Leve ao congelador ou geladeira por umas quatro horas.

Fonte: Lílian C.

35

Barrinhas de Butterscotch e Chocolate


Não me dou muito bem com esse tipo de receita: geralmente a aparência não fica muito boa, alguma coisa dá errado, mas eu insisto porque sei que certas coisas só vêm com a experiência. O que mais gostei nestas barrinhas foi a camada de butterscotch, que é uma espécie de caramelo. Ficou bem gostosa com as castanhas. Mas a base ficou muito quebradiça, não sei se assou demais ou de menos, mas tem sabor de biscoito de chocolate. No geral, gostei, é bem gostoso, mas não fiquei totalmente satisfeita.

Ingredientes:
Base de chocolate:
225 g (2 xícaras) de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de fermento em pó
115 g (1/2 xícara) de manteiga sem sal em cubos
50 g (1/4 de xícara) de açúcar mascavo
150 g de chocolate meio-amargo derretido
2 colheres (sopa) de amêndoas moídas

Camada de Butterscotch:
175 g (3/4 de xícara) de manteiga sem sal
115 g (1/2 xícara cheia) de açúcar
2 colheres (sopa) de glucose de milho (mel Karo)
3/4 de xícara de leite condensado
150 g (1 e 1/4 de xícara) de avelãs inteiras tostadas (usei castanhas-de-caju)

Cobertura:
225 g de chocolate meio-amargo

Preaqueça o forno em 160°. Unte uma assadeira de 30 x 20 cm. Numa tigela grande, peneire juntos a farinha de trigo e o fermento. Junte a manteiga e misture com a ponta dos dedos, fazendo uma espécie de farofa grossa. Incorpore o açúcar à essa mistura. Acrescente o chocolate e as amêndoas, misturando com as mãos até formar uma massa homogênea e lisa. Pressione essa mistura na superfície da assadeira untada de modo que fique nivelada. Faça vários furos com um garfo sobre a massa e leve pra assar por cerca de 25-30 minutos. Deixe esfriar na assadeira.
Para a camada de butterscotch, junte a manteiga, o açúcar, a glucose de milho e o leite condensado numa panelinha. Leve ao fogo médio e mexa até a manteiga e o açúcar derreterem. Deixe ferver e mexa ocasionalmente, até que fique dourado. Acrescente as avelãs e misture bem. Despeje por sobre a base de chocolate, de modo que fique nivelada e deixe descansar.
Para a cobertura, derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas e despeje sobre a camada de butterscotch. A receita não pede, mas talvez seja indicado temperar o chocolate antes de usá-lo como cobertura. Deixe descansar (ou esfriar) antes de cortar em barrinhas.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.