19

Panetone


Confesso que nunca fui muito fã de panetone ou qualquer coisa que levasse frutas cristalizadas. Mas isso porque os panetones industrializados geralmente usam frutas de péssima qualidade (mamão verde com corante). Ao fazer um caseiro, você pode escolher as frutas de sua preferência, afinal o panetone nada mais é que um pão macio e amanteigado com frutinhas. Cranberries secas, uvas passas, caju em passas… Eu usei damascos e tâmaras secas.
Nesta receita, o pão fica bem com textura de brioche. A distribuição das frutas não ficou perfeita, mas acredito que é porque eu deixei a massa bem úmida, não queria que ele ficasse seco depois de esfriar. É uma ótima receita pra quem nunca fez panetone, se você já fez qualquer pão com sova, não tem mistério nenhum, tanto que no dia seguinte eu fiz novamente.

Ingredientes:
400 g de farinha de trigo (mais 1/4 de xícara para dar o ponto)
1/2 colher (chá) de sal
5 g de fermento biológico seco (ou 15 g do fresco)
120 ml de leite morno
2 ovos levemente batidos
2 gemas
6 colheres (sopa) de açúcar
150 g de manteiga em temperatura ambiente
150-200 g de frutas secas de sua preferência (usei damascos e tâmaras)
1 colher (sopa) de rum (dessa vez usei Cointreau)
1/2 colher (sopa) de extrato de baunilha
Raspas de 1 limão (usei algumas gotinhas do sumo também)
1 pitada de noz moscada
Manteiga derretida para pincelar (1 a 2 colheres de sopa)

Prepare um recipiente fundo para assar o panetone. Eu usei uma lata (daquelas de cereais) com 13 cm de altura e 13 cm de diâmetro pois eu queria que ficasse bem alto (a receita original sugere uma forma funda de 15 cm de diâmetro). Se usar uma lata (veja aqui como preparei a lata), coloque uma assadeira pequena embaixo para servir de apoio na hora em que for retirar do forno. Você pode usar uma forma grande de suflê ou formas de papel próprias para panetone. Unte bem a sua forma com manteiga e, usando papel manteiga, faça um círculo para forrar o fundo da forma e um cilindro para forrar as laterais, de forma que este cilindro seja mais alto que ela, passando uns 8 cm, para que o pão tenha bastante espaço para crescer. Este da foto ficou com 18 cm de altura depois de assado.

Peneire a farinha de trigo e o sal numa tigela grande e faça um buraco no centro. Misture o fermento com o leite morno e despeje sobre esse buraco, juntamente com os ovos inteiros. Vá misturando com um garfo, somente no centro, adicionando, com o movimento, a quantidade de farinha de trigo necessária para que se forme uma pasta grossa. Polvilhe um pouco de trigo sobre essa pasta e leve para um local sem correntes de ar para descansar por 30 minutos e formar a esponja.

Agora adicione as gemas e o açúcar e misture tudo, inclusive o trigo que ficou nas laterais da tigela, até formar uma massa macia. Incorpore a manteiga e leve para sovar numa bancada levemente enfarinhada. Nessa etapa a massa fica bem mole. Você pode acrescentar mais um pouco de farinha, se for necessário. Eu usei 1/4 de xícara a mais. O ponto é uma massa lisa e úmida, mas que solta levemente das mãos, não acrescente farinha demais. Para que não grude tanto, use uma espátula de silicone ou raspador para ajudar a soltar da bancada. Sove por uns 5 minutos. Volte-a para a mesma tigela (se usar outra tigela, unte levemente com manteiga), cubra com filme plástico e/ou um pano e deixe crescer por 1 hora e meia a 2 horas, num local sem correntes de ar, até que dobre de tamanho.

Enquanto isso, pique as frutas e coloque-as num recipiente com o rum, as raspas de limão, a baunilha e a noz moscada. Misture tudo e reserve. Terminado o descanso, soque a massa e despeje-a sobre a bancada novamente (levemente enfarinhada). Adicione as frutas e incorpore-as na massa levemente. Faça uma bola e despeje com cuidado na forma preparada. Cubra com um pano e leve para crescer, dessa vez por 1 hora ou até que dobre de tamanho. Faltando uns 20 minutos para terminar o descanso da massa, acenda o forno em 200°.

Faça um corte de cruz no topo da massa e pincele com metade da manteiga derretida. Asse o pão por 20 minutos. Abra o forno, pincele novamente o topo com o restante da manteiga e abaixe a temperatura para 180°. Asse por mais 25 a 30 minutos, ou até que esteja bem dourado. Deixe esfriar por 10 minutos antes de desenformar. Esfrie em grelha.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

35

Barrinhas de Butterscotch e Chocolate


Não me dou muito bem com esse tipo de receita: geralmente a aparência não fica muito boa, alguma coisa dá errado, mas eu insisto porque sei que certas coisas só vêm com a experiência. O que mais gostei nestas barrinhas foi a camada de butterscotch, que é uma espécie de caramelo. Ficou bem gostosa com as castanhas. Mas a base ficou muito quebradiça, não sei se assou demais ou de menos, mas tem sabor de biscoito de chocolate. No geral, gostei, é bem gostoso, mas não fiquei totalmente satisfeita.

Ingredientes:
Base de chocolate:
225 g (2 xícaras) de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de fermento em pó
115 g (1/2 xícara) de manteiga sem sal em cubos
50 g (1/4 de xícara) de açúcar mascavo
150 g de chocolate meio-amargo derretido
2 colheres (sopa) de amêndoas moídas

Camada de Butterscotch:
175 g (3/4 de xícara) de manteiga sem sal
115 g (1/2 xícara cheia) de açúcar
2 colheres (sopa) de glucose de milho (mel Karo)
3/4 de xícara de leite condensado
150 g (1 e 1/4 de xícara) de avelãs inteiras tostadas (usei castanhas-de-caju)

Cobertura:
225 g de chocolate meio-amargo

Preaqueça o forno em 160°. Unte uma assadeira de 30 x 20 cm. Numa tigela grande, peneire juntos a farinha de trigo e o fermento. Junte a manteiga e misture com a ponta dos dedos, fazendo uma espécie de farofa grossa. Incorpore o açúcar à essa mistura. Acrescente o chocolate e as amêndoas, misturando com as mãos até formar uma massa homogênea e lisa. Pressione essa mistura na superfície da assadeira untada de modo que fique nivelada. Faça vários furos com um garfo sobre a massa e leve pra assar por cerca de 25-30 minutos. Deixe esfriar na assadeira.
Para a camada de butterscotch, junte a manteiga, o açúcar, a glucose de milho e o leite condensado numa panelinha. Leve ao fogo médio e mexa até a manteiga e o açúcar derreterem. Deixe ferver e mexa ocasionalmente, até que fique dourado. Acrescente as avelãs e misture bem. Despeje por sobre a base de chocolate, de modo que fique nivelada e deixe descansar.
Para a cobertura, derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas e despeje sobre a camada de butterscotch. A receita não pede, mas talvez seja indicado temperar o chocolate antes de usá-lo como cobertura. Deixe descansar (ou esfriar) antes de cortar em barrinhas.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

41

Muffins de Mel-de-Caju e Castanhas

Apesar de levarem o nome de muffins, essa massa é feita à maneira de bolo, mas no final eles ficam tão com cara de muffins que achei melhor deixar assim mesmo. A receita original é feita com maple syrup e pecãs, mas resolvi tentar com Mel de Caju e castanhas-de-caju, ou seja, acho que vale fazer com outros tipos de mel e nuts. Quem me apresentou ao mel de caju foi a Socorro, mas a Neide também já comentou sobre esse produto, do qual gostei muito, tanto que ainda joguei por cima dos muffins depois de prontos. A essa massa ainda pode ser acrescentada uma pitada de gengibre e outra de noz-moscada, e acredito que fique interessante assá-la em uma forma de bolo inglês como bolo único.

Ingredientes:
150 g de castanhas de caju tostadas e picadas grosseiramente
300 g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
Uma pitada de sal
1/4 de colher (chá) de canela em pó
115 g de açúcar
50 g de açúcar mascavo
3 colheres (sopa) de mel-de-caju
150 g de manteiga
3 ovos
300 ml de buttermilk (usei coalhada misturada com leite)
Castanhas ao meio para decorar

Preaqueça o forno em 180°. Prepare 20 forminhas de muffin. Peneire juntos a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e a canela. Reserve. Numa tigela grande, junte os açúcares, o mel e a manteiga. Bata-os na batedeira até ficar leve e fofo. Junte os ovos, um por vez, incorporando bem a cada adição. Acrescente a metade do buttermilk e a metade dos ingredientes secos, misturando bem. Repita o processo com o restante do buttermilk e o restante dos ingredientes secos. Incorpore as castanhas à massa. Preencha 2/3 das forminhas com a massa e distribua por cima metades de castanha em cada muffin. Asse-os por 20-25 minutos ou até crescerem e ficarem dourados. Deixe-os descansar por 5 minutos antes de desenformar. Deixe-os esfriar numa grelha.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

22

Ravióli Assado Doce


O que me atraiu nesse ravióli foram os ingredientes, coisas que eu precisava usar logo por conta da validade. Mas o resultado foi bem legal, você começa a comer e não pára mais. A massa é algo entre biscoito e torta e o recheio é bem suave. Inclusive dá pra usar só a receita da massa e fazer ótimos biscoitos. O limão deixa um perfume agradável e não fica muito doce. Infelizmente sobrou bastante recheio porque cortei a massa em quadrados de 4 cm com uma carretilha, então ficaram pouco recheados. Seguindo as instruções da receita, a massa rende 14 raviólis, mas como fiz menores, a minha rendeu uns 30 ou mais.

Ingredientes:
Massa:
225 g (2 xícaras) de farinha de trigo
65 g (1/3 de xícara) de açúcar
90 g (1/2 xícara) de manteiga
1 ovo
1 colher (sopa) de raspas de limão

Recheio:
175 g (3/4 de xícara) de ricota
50 g (1/4 de xícara) de açúcar
3/4 de colher (chá) de essência de baunilha
1 gema
1 colher (sopa) de frutas cristalizadas
25 g de chocolate meio-amargo picado
1 ovo batido

Para a massa, junte a farinha e o açúcar no processador e com a velocidade mais alta vá colocando a manteiga aos poucos, até que vire uma farofa. Adicione o ovo e as raspas de limão. A massa deve se tornar uma bola homogênea.
Coloque a massa entre duas folhas de filme plástico e leve para a geladeira enquanto faz o recheio. Passe a ricota pela peneira e misture-a com o açúcar, a essência, a gema, as frutas e o chocolate. Divida a massa em duas e abra cada metade entre duas folhas de filme plástico (15 cm x 56 cm). Preaqueça o forno em 180°. Distribua o recheio em duas filas sobre a massa, deixando uma margem de 2,5 cm entre cada bolinha de recheio. Pincele a massa com o ovo batido por entre o recheio e cubra com a outra metade da massa, apertando ao redor, para fechar bem. Com um cortador de biscoito de 6 cm de diâmetro (eu usei uma carretilha), corte os raviólis de forma que a bolinha de recheio fique centralizada. Leve para assar numa assadeira untada por cerca de 15-20 minutos, até que fiquem dourados. Sirva morno, polvilhado com açúcar de confeiteiro e chocolate, ou raspas de limão.

Fonte: Afternoon Tea [Molly Perham].

17

Bolo de Melado, Aveia e Gengibre [Parkin Cake]


Na última quinzena do Colher de Tacho – em que o rei foi a Quinoa – não publiquei nenhuma receita porque a farinha de quinoa não me agradou em nenhuma das duas receitas que fiz: pão e panquecas. Não suportei o cheiro e o gosto não me agradou. Fiquei arrependida de não ter comprado o grão, pois eu poderia ter mais propriedade para dar meu parecer. E eu queria muito ter gostado, pois me pareceu maravilhosa a idéia de poder substituir a farinha de trigo em algumas receitas. Mas nada me impede depois de experimentar de novo, principalmente por ela possuir tantas propriedades boas.
Nessa quinzena do gengibre, porém, não vou faltar: eis aqui minha receitinha. Trata-se de um bolo tradicional do norte da Inglaterra chamado Parkin. Lembrou-me um pouco o Bolo de Mel-de-Engenho que fiz uma vez, no entanto nesta eu havia usado um mel-de-engenho artesanal que tem um aroma bem mais apurado que o industrializado que usei hoje.
Não costumo usar gengibre, aliás, acho que nunca tinha usado, mas com essa receita deu pra me familiarizar mais com seu sabor. A massa do bolo é um pouco úmida, meio pegajosa quando ainda está quente, mas faz parte da textura do bolo mesmo. Muito bom. Se der tempo ainda participo com outra.

Ingredientes:
1 e 1/4 de xícara (300 ml) de leite
225 g (2/3 de xícara) de glucose de milho (golden syrup)
225 g (2/3 de xícara) de melado de cana (mel-de-engenho)
115 g (1/2 xícara) de manteiga ou margarina
50 g (1/4 de xícara) de açúcar mascavo
450 g (4 xícaras) de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 e 1/4 de colher (chá) de gengibre em pó (gengibre moído)
350 g (3 xícaras) de aveia (usei em flocos finos)
1 ovo batido
açúcar de confeiteiro para polvilhar

Preaqueça o forno em 180°. Unte e forre com papel manteiga uma forma quadrada de 20 cm (usei uma retangular pequena). Aqueça em fogo baixo numa panela o leite, a glucose, o melado, a manteiga e o açúcar, mexendo até ficar homogêneo. Não deixe ferver. Numa vasilha grande, misture a farinha de trigo com o bicarbonato de sódio, o gengibre e a aveia. Faça um buraco no centro, coloque o ovo e vá jogando devagar a mistura aquecida. Misture até obter uma massa homogênea. Despeje a massa na forma preparada e asse por cerca de 40-45 minutos, até que fique firme ao toque (fiz também o teste do palito). Deixe esfriar um pouco na própria forma, depois desenforme e leve para esfriar numa grelha. Corte em quadrados e cubra com açúcar de confeiteiro.

Fonte: Afternoon Tea [Molly Perham].

4

Muffins de Queijo


Esse muffin não me agradou muito, mas não ficou ruim. Talvez pelo fato de ser um muffin salgado eu esperava que fosse mais… salgado. Talvez ficasse melhor com outro queijo, ou com mais sal, vou experimentar. Mas o bom é que você morde o muffin e o queijo derretido vem no meio, é legal. É algo a ser melhorado, por isso coloco ele aqui. Só não sugiro que seja feito em forminhas de papel como fiz, pois essa massa gruda depois de assada, é melhor que seja feito diretamente nas formas untadas.

Ingredientes:
50 g (1/4 de xícara) de manteiga
175 g (1 e 1/2 xícara) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de açúcar
pitada de sal
1 colher (chá) de páprica
2 ovos
1/2 xícara (120 ml) de leite
1 colher (chá) de tomilho seco
50 g de queijo Cheddar em cubos

Preaqueça o forno em 190°. Unte 9 formas de muffin (não aconselho as forminhas de papel neste caso). Derreta a manteiga. Peneire juntos a farinha, o fermento, o açúcar, o sal e a páprica numa tigela. Em outra tigela, misture os ovos, o leite, a manteiga derretida e o tomilho e bata bem.
Junte a mistura líquida aos ingredientes secos e misture rapidamente, apenas para incorporar. Não mexa muito. Ponha um pouco de massa nas formas, cubra cada muffin com cubos de queijo e por cima mais um pouco de massa. Asse por cerca de 25 minutos, até que fiquem dourados e macios. Deixe descansar por 5 minutos numa grelha e sirva-os ainda quentes ou mornos.

Fonte: Afternoon Tea [Molly Perham].

10

Barras de Sour Cream com Cobertura Streusel


Na sexta-feira, quase sempre reúno alguns amigos aqui em casa de tardinha para a noite e eles geralmente são minhas cobaias culinárias. Ontem, além da receita aqui relatada, repeti uma pizza com a massa de pissaladière da Fer, eu não consigo mais testar outra massa quando penso que essa não precisa sovar, além de ser uma delícia, é claro.
Bom, mas essas barrinhas são mesmo uma coisa: muito macias e úmidas. Os pedaços derretem na boca. Corrijam-me se eu estiver errada, mas streusel é um tipo de cobertura usada em bolos (geralmente coffeecakes) que leva açúcar, canela e manteiga e às vezes farinha de trigo e/ou algum tipo de castanha. É uma receita pra quem gosta de doce. Sugiro que você prepare para seus amigos magros: você tira um pedacinho pra você, uma migalha para o marido e farta seus comensais.

Ingredientes:
Massa:
115 g de manteiga
150 g de açúcar
3 ovos
175 g de farinha de trigo
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de fermento em pó
250 ml de sour cream (veja abaixo)

Sour cream:
Misture 250 ml de creme de leite fresco com 1 colher de sopa de sumo de limão numa tigela de vidro por 10 a 30 minutos em temperatura ambiente até engrossar. Se não for usar na hora, guarde na geladeira (receita da Scarpin).

Cobertura:
175 g de açúcar mascavo escuro
2 colheres (chá) de canela em pó
115 g de nozes picadas
50 g de manteiga em pedaços

Preaqueça o forno em 180°. Unte e forre uma forma quadrada de 23 cm (usei uma retangular de 20 x 26) com papel manteiga, untando por cima do papel também. Reserve. Para a cobertura, junte o açúcar, a canela e as nozes numa vasilha. Misture com a ponta dos dedos, depois adicione a manteiga e continue trabalhando a massa até que fique uma farofa úmida. Reserve.
Para a massa, bata a manteiga na batedeira até ficar macia. Adicione o açúcar e continue batendo até a mistura ficar leve e fofa. Adicione os ovos, um de cada vez, batendo bem a cada adição.
Peneire juntos a farinha de trigo, o bicarbonato e o fermento três vezes. Junte à mistura de manteiga em três porções, revezando com o sour cream. Mexa bem depois de cada adição (sugiro que a última porção seja de farinha). Ponha metade da massa dentro da forma e salpique a metade da cobertura por cima. Ponha a outra metade e salpique o resto da cobertura. Asse por cerca de 60 minutos (o meu assou em 40) até que fique com uma cor marrom dourado. Deixe descansar por 5 minutos antes de desenformar para esfriar. Corte em barras ou quadradinhos.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

14

Quiche de Gorgonzola com Massa de Nozes

Não vai ser ainda a última da semana em que vou usar o tal livrinho (ele está cheio de marcadores). Essa quiche é muito saborosa, bonita e especial. Sou suspeita porque amo alho-poró, mas acredito que agradaria a muitos. A massa com nozes é convidativa e combina muito bem com o recheio. A minha substituição pelo Gorgonzola foi tão somente pelo preço do Roquefort, 5 vezes mais caro que aquele, talvez porque tenha sido feito com o leite das ovelhas do rebanho de Apolo.

Ingredientes:
Massa:
175 g (1 e 1/2 xícara) de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de açúcar mascavo
50 g (1/4 de xícara) de manteiga
75 g (3/4 de xícara) de nozes moídas
1 colher (sopa) de sumo de limão
2 colheres (sopa) de água gelada

Recheio:
25 g (2 colheres de sopa) de manteiga
450 g de alho-poró em fatias finas (mais ou menos 3 alhos-poró)
175 g de queijo Roquefort em fatias (usei Gorgonzola)
2 ovos grandes
250 ml (1 xícara) de creme de leite fresco
2 colheres (chá) de estragão fresco picado (não usei)
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Para a massa, peneire a farinha com o sal numa vasilha. Acrescente um pouco de pimenta-do-reino e o açúcar. Junte a manteiga e mexa com os dedos até formar uma farofa fina. Acrescente as nozes e misture bem. Adicione o sumo de limão e a água gelada e sove um pouco para formar uma massa – junte tudo até formar uma bola. Enrole-a com filme plástico e leve à geladeira por 30 minutos.
Preaqueça o forno em 190°. Passada a espera abra a massa numa forma de quiche (21 a 23 cm). Proteja as bordas da massa com papel alumínio (não fiz porque minha forma era de silicone) e faça vários furinhos nela com um garfo. Leve para assar por 15 minutos, retire o alumínio e asse por mais 10 minutos. Reduza a temperatura para 180°.
Para o recheio, derreta a manteiga numa panela e refogue o alho-poró por 10 minutos com a panela tampada. Ponha sal a gosto e deixe por mais uns 10 minutos, até que fique macio. Distribua o alho-poró sobre a massa e por cima coloque as fatias de Roquefort. Bata o creme de leite com os ovos e tempere com sal e pimenta-do-reino. Acrescente o estragão e jogue a mistura por cima do recheio.
Agora a torta deve assar por cerca de 30-40 minutos até que o recheio cresça um pouco e esteja firme e dourado. Deixe esfriar por alguns minutos antes de servir.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

28

Muffins de Banana


Eu não esperava que fossem, mas com certeza foram os melhores muffins que já fiz até agora. Primeiro porque a textura passou longe de ser a de um bolinho, isto é, são muffins mesmo, quase pãezinhos. Segundo porque saíram deliciosos, divinos, quando tudo que eu queria era apenas aproveitar umas bananas.
Além disso, foi a primeira receita que testei de um livro muito fofo que comprei: Afternoon Tea [Molly Perham]. O livro é um charme, fica em pé na página da receita e pode ser lido indo e voltando, com uma só receita em cada página.

Ele traz apenas receitas referentes ao chá da tarde britânico: sanduíches, salgados, tortinhas, cookies, muffins, brownies, scones, pães, loafs, geléias, barrinhas, bolos… e todas lindas e com fotos. Outra vantagem é que as quantidades vêm em diversas unidades de medida, não sendo necessário ficar fazendo contas. Não vi uma receita ruim, tenho vontade de fazer todas. Esse vai para a Estante.

Ingredientes:
225 g (2 xícaras) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1/2 colher (chá) de canela em pó
1/2 colher (chá) de noz-moscada
3 bananas grandes maduras
1 ovo
1/4 de xícara (50 g) de açúcar mascavo escuro
1/4 de xícara (50 ml) de óleo vegetal
1/4 de xícara (40 g) de passas pretas

Preaqueça o forno em 190°. Unte 12 forminhas de muffins. Misture numa vasilha a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal, a canela e a noz-moscada. Reserve. Descasque as bananas e com a batedeira amasse-as bem. Acrescente o ovo, o açúcar e o óleo e continue batendo até misturar bem. Adicione a mistura seca de farinha e misture com uma espátula ou garfo (a receita pede pra continuar na batedeira em velocidade baixa) apenas para incorporar, sem se preocupar em deixar empelotado. Junte as passas e incorpore ligeiramente. Encha 2/3 de cada forminha com a massa e leve para assar por cerca de 20-25 minutos, mas fique atenta, os meus assaram em 15 minutos. Eles estarão prontos quando você apertá-los em cima e a massa voltar, como se fosse um travesseiro (se não quiser fazer isso, faça o teste do palito). Deixe que esfriem sobre grelha ou faça como eu: devore alguns ainda quentinhos.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.