20

Risoto de Abóbora com Pesto e Castanha

Em um restaurante que frequento eles servem um purê de abóbora com pesto e pinoli que é uma delícia e foi nele que me inspirei pra fazer esse risoto. No dia anterior eu havia preparado um pesto de coentro e outro de manjericão, mas acabei usando o primeiro por achar que casaria melhor, mas na verdade tanto faz, ambos combinam muito bem com a abóbora. Caso você não tenha paciência ou tempo para fazer o pesto, pegue um punhado de manjericão fresco e pique bem fininho, misturando com umas gotinhas de limão e misturando com azeite, vai dar um efeito semelhante. Mas não dispense a castanha, ela faz tudo ficar mais interessante.

Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de abóbora cozida e amassada
1 cebola pequena picada
1 talo de aipo picado (opcional)
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 xícara de arroz para risoto (usei arbóreo)
1/2 xícara de vinho branco (pode ser suco de uva integral branco ou 1 colher (sopa) de vinagre branco)
500 a 800 ml de caldo de legumes
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Parmesão ou Grana Padano ralado a gosto (no mínimo 1/2 xícara)
1 colher (sopa) cheia de manteiga

Na hora de servir:
Pesto pronto diluído com um pouco de azeite de oliva extra-virgem (usei pesto de coentro, use o da sua preferência)
Castanha-de-caju picada grosseiramente, a gosto

Deixe os ingredientes separados e prontos pra serem usados. O caldo deve estar quente, numa panela em fogo baixo. Numa caçarola alta, refogue a cebola e o aipo no azeite até que fiquem perolados, em fogo médio. Junte o arroz e refogue um pouco, mexendo bem. Junte o vinho e deixe que ele seja absorvido pelo arroz. Em seguida, adicione uma concha de caldo, mexa bem e deixe que tudo seja absorvido pelo arroz antes de colocar mais uma concha. Vá acrescentando uma concha por vez, mexendo bem e deixando que o arroz absorva tudo. Quando o arroz estiver quase al dente, junte a abóbora e misture, temperando com sal e pimenta a gosto, se necessário. É bom ter caldo extra caso o arroz seque muito. Quando o arroz estiver no ponto, junte a manteiga e o parmesão e mexa bem, adicionando um pouco de caldo, se precisar. O risoto deve ficar bem cremoso e escorregadio. Na hora de servir, cubra com o pesto e castanhas a gosto.

Anúncios
14

Pesto de Cebolinha

Boas idéias têm o poder de não deixar a gente em paz e essa idéia da Mariana ficou na minha cabeça por muito tempo, mas sempre era deixada para depois. Até que vi umas cebolinhas bonitas no supermercado pedindo para virarem um pesto com castanhas-de-caju. E nem precisei usar alho porque os talos já fazem um bom papel substituindo. Provavelmente repetirei muitas vezes, totalmente aprovado!
E a Cristina semana passada postou um de rúcula com avelãs que me deixou tentada também, mas tomara que eu não passe mais um ano adiando experimentar essa delícia!

Ingredientes:
3 maços de cebolinha verde, talos e folhas
1/3 de xícara de queijo grana padano ralado (poderia ser parmesão ou outro queijo do tipo)
2/3 de xícara de castanha-de-caju (poderia ser amêndoas, castanha-do-pará, nozes…)
1/2 colher (sopa) de sumo de limão
1/4 de xícara de azeite de oliva extra-virgem
Sal a gosto

Bata todos os ingredientes num processador ou liqüidificador potente até que fique um molho espesso. Ajuste os ingredientes conforme sua preferência.

Fonte: Inspirado numa receita do blog Caos na Cozinha, adaptado do Pesto de Manjericão que sempre faço.

8

Mac And Cheese com Couve-Flor e Cobertura Crocante

Eu fiquei apaixonada por essa cobertura. O macarrão ficou gostoso, mas essa cobertura iria deixar qualquer coisa gostosa. Já penso em mil variações e usos para ela, mas pra começar façam esse mac and cheese pois é simples e resolve um jantar rápido num instante. Na foto ele parece meio seco porque o formato de concha do macarrão roubou todo o molho, mas ele fica bem cremoso.

Ingredientes
Para o macarrão:
400 g de couve-flor (usei congelada)
500 g de macarrão curto, do tipo rigatoni (o que eu tinha era em formato de concha)
200 de queijo ralado (qualquer um que derreta, pode ser mozarela, eu usei uma mistura de madrigal com grana padano)
200 g de cream cheese ou requeijão cremoso
Água do macarrão reservada (2 xícaras)

Para a cobertura:
10 azeitonas*
2 colheres (sopa) de alcaparras*
Ervas de sua preferência a gosto (usei manjericão e manjerona)
2 dentes de alho espremidos
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Migalhas de pão o quanto baste (usei mais ou menos 2 pãezinhos e algumas torradas)
2 colheres (sopa) de azeite de oliva

*Azeitonas e alcaparras substituíram o bacon da receita original. Poderia ser tomate seco ou qualquer ingrediente com sabor mais forte.

Preaqueça o forno em 220º (alto). Usando o processador com a lâmina, processe todos os ingredientes da cobertura para que virem uma espécie de farofa (acredito que dá pra fazer em liquidificador). Reserve.

Cozinhe o macarrão em água fervente e salgada (você pode cozinhar a couve-flor junto, caso esteja usando ela fresca). Como usei a couve-flor congelada, aproveitei apenas um pouco da água quente para descongelar e piquei em pedacinhos. Junte o macarrão e a couve-flor já cozidos em um refratário grande. Adicione um pouco da água do cozimento (se quiser o macarrão mais sequinho coloque pouco, se quiser mais molhadinho, coloque mais: o Jamie sugere 400 ml). Junte o queijo e o cream cheese e misture tudo muito bem. Agora cubra tudo com a “farofa”, deixando as beiradas livres para o vapor sair. Leve ao forno por 15-20 minutos, até que a cobertura fique dourada. Sirva em seguida.

Fonte: Adaptada de “Cauliflower Macaroni” – Refeições em 30 minutos, episódio 23 – Jamie Oliver.

10

Torta de Ratatouille com Massa de Fubá

Quase toda semana eu preparo uma espécie de ratatouille pra mim e vou comendo durante a semana quando tenho que almoçar sozinha. Uma parte pode virar quiche, outra pode virar risoto ou mil e uma outras coisas, mas essa semana uma parte virou essa torta. A receita dessa massa foi postada há 5 anos (!) pela Karen, mas o recheio eu aproveitei esse ratatouille que sempre faço, com o acréscimo apenas dos queijos. Fiquei em dúvida se eu deveria usar fubá mesmo ou farinha de milho (na receita original da Ana ela usa cornmeal, que eu entendo por farinha de milho), mas fui no fubá mesmo e deu certo.

Ingredientes
Ratatouille*:
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola cortada em meias-luas finas
3 beringelas pequenas cortadas em cubos
3 abobrinhas pequenas cortadas em cubos
1/2 pimentão vermelho picado
Um punhado de azeitonas picadas
1 xícara de molho de tomate (ou tomates picados)
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Ervas secas e frescas a gosto
Mozarela a gosto (usei apenas uma fatia picada)
Parmesão a gosto (usei apenas o suficiente para cobrir a torta)

*Esse ratatouille rende cerca de 3 vezes mais que o suficiente para a torta. Diminua as quantidades se não tiver outros fins para ele ou use as quantidades da receita original.

Massa:
2/3 de xícara de fubá
1/3 de xícara de farinha de trigo integral
1/4 colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de óleo de canola
3-4 colheres (sopa) de água

Para o ratatouille, esquente o azeite numa panela ou frigideira grande e refogue ligeiramente a cebola. Acrescente então o pimentão, as beringelas e as abobrinhas, refogando tudo. Quando tudo tiver murchado um pouco, junte as azeitonas e o molho de tomate e tempere com sal, pimenta e ervas. Refogue mais, e se o molho estiver muito líquido deixe secar um pouco. Reserve, deixando esfriar. Preaqueça o forno em 180º enquanto prepara a massa.

Para a massa, você pode usar o processador ou fazer tudo numa tigela. No processador use o acessório de massas (faca de plástico) e misture primeiro o fubá, o trigo e o sal. Depois junte a manteiga e o óleo, pulsando para que vire uma espécie de farofa. Adicione a água até obter uma bola de massa (a minha não ficou exatamente uma bola, mas percebi que estava no ponto – usei 4 colheres de água).

Distribua a massa numa forma de torta pequena (usei uma de 20 cm e mal deu pra cobrir as laterais, acredito que porque usei uma forma canelada), forrando tudo com ajuda das mãos. Com um garfo, fure a massa em alguns pontos. Leve para pré-assar por cerca de 12-15 minutos. Retire do forno e distribua o recheio. Cubra com os queijos e volte para o forno por mais uns 25 minutos, até que os queijos derretam e a torta fique dourada.

Fonte: Kafka na Praia e Kitchen Space.

12

Trifle de Framboesa e Creme de Queijo

Embora eu ache a data muito fofa, não costumo comemorar o Valentine’s Day. Ainda assim não consigo deixar de lembrar de duas coisas: o Charlie Brown levando sua maletinha pra escola, esperando receber muitos cartões, e sobremesas feitas com morango ou framboesas.
Este trifle é tão simples de fazer que nem precisa esperar por datas especiais, como vocês podem ver no vídeo abaixo. Ainda assim fiz algumas alterações na receita original, apenas para que ficasse mais prática pra mim. Então, se você gosta de fazer algo especial para essa data, mas em plena terça-feira não se programou, eis uma opção rápida e cheia de coraçõezinhos.

Ingredientes (4 porções):
12 biscoitos champanhe
4 colheres (sopa) de Cointreau (ou use o suco que liberar das frutas)
400 g de framboesas frescas ou descongeladas (pode ser morango, amora, mirtilo…)
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 xícara de cream cheese (originalmente mascarpone)
1/2 xícara de creme de leite
1/2 xícara de leite condensado (originalmente adoçado com açúcar)
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha

Corte os biscoitos ao meio e forre o fundo dos copos ou taças com eles, usando 3 biscoitos para cada porção. Regue-os com o licor. Misture as framboesas com o açúcar e amasse tudo com um garfo, misturando tudo. Jogue por sobre os biscoitos, distribuindo para todas as taças. Com um fouet, bata o cream cheese com o creme de leite, a baunilha e o leite condensado até que fique bem liso. Cubra a sobremesa com esse creme. Leve para gelar até a hora de servir. Caso você faça o creme com antecedência e deixe na geladeira, pode montar a sobremesa na hora de servir.

Fonte: Adaptado de Donna Hay – Fast, Fresh, Simple, Episódio 3 (Fox Life).

12

Madeleines de Espinafre e Parmesão

A receita salgada do livro me agradou bem mais que a doce, ficaram com uma textura melhor e o preparo é a coisa mais fácil do mundo de fazer. Você pode substituir o espinafre por outra verdura ou mesmo por ervas de sua preferência.

Ingredientes:
100 g de farinha de trigo
2 ovos
1 e 1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal e pimenta-do-reino
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
20 g de manteiga derretida
2 colheres (sopa) de parmesão ralado
4 colheres (sopa) de leite
1 gota de molho de pimenta (Tabasco) (opcional)

30 g de espinafre, fresco ou congelado
1 pitada de noz-moscada (opcional)

Refogue o espinafre em uma panela com duas gotas de água. Escorra-o e amasse-o com um garfo, até que fique bem fino. Adicione a noz-moscada e e reserve. Misture todos os ingredientes restantes com um fouet e adicione o espinafre, misturando bem. Leve à geladeira por 30 minutos. Leve para assar no forno preaquecido de 220°, por cerca de 10 minutos em forminhas pequenas de madeleine. Rende 32 mini-madeleines. Sirva com algum molho cremoso, ou requeijão.

Fonte: Mini Madeleines – Sandra Mahut.

17

Torta de Frango e Champignon Deliciosa

Faz muitos anos que essa torta é um sucesso nos blogs e na minha casa, mas nunca tenho oportunidade de fotografá-la. Dessa vez tirei uma foto rápida, pois não poderia deixar de postá-la aqui, já que tanta gente me pede a receita. A massa é uma espécie de pão fofinho e macio, incrivelmente fácil de fazer. O recheio pode ser outro, é claro, mas eu sempre acabo fazendo com frango, pois essa é daquelas receitas do tipo “quero-agradar-o-maior-número-de-pessoas-possível”, ideal também para piqueniques. E a sua qualidade de deliciosa é tanta que já vem no título, para não deixar dúvidas.

Ingredientes:
Massa:
3 ovos grandes
3 xícaras (chá) de leite morno
10 g de fermento biológico seco instantâneo* (1 envelope)
1 colher (sopa) de sal
2 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
1 xícara (chá) de óleo vegetal (usei de girassol)
5 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
Parmesão ralado a gosto para cobrir (opcional, mas recomendo)

Recheio:
2 peitos de frango cozidos temperados e desfiados (sem caldo)
400 g de champignon**
1 xícara de milho verde cozido
1/2 xícara de azeitonas verdes picadas
1 lata de molho de tomate (ou 1 xícara e meia de molho caseiro)
1 copo de requeijão cremoso
Temperos e ervas a gosto

*O tempo de descanso da massa é curto, portanto use apenas o instantâneo para essa receita.
**Usei do congelado, refoguei com um pouco de manteiga só para perder o gelo e deixei escorrer bem.

Primeiro faça o recheio: misture todos os ingredientes e reserve. Prove para ver se o tempero está do seu gosto. Preaqueça o forno em 180° e unte e enfarinhe uma assadeira grande (geralmente uso uma assadeira retangular de 38x28cm).

Para a massa, bata todos os ingredientes no liquidificador, menos a farinha de trigo. Despeje a mistura numa tigela grande e vá acrescentando a farinha de trigo aos poucos, misturando bem com um fouet ou uma colher de pau, até que toda a farinha esteja bem incorporada. Observação: eu acho mais prático misturar tudo já na tigela grande e misturar bem com um fouet, batendo, e depois acrescentar a farinha de trigo, assim não você não precisa sujar o liquidificador. É uma massa um pouco pesada de misturar e de textura bem mole. Espalhe 2/3 da massa na assadeira preparada. Distribua o recheio por sobre a massa e cubra tudo com a massa que sobrou (você pode ir pingando a massa e depois espalhar levemente sobre o recheio). Deixe fermentando de 15 a 30 minutos. Cubra com parmesão ralado e leve para assar até ficar dourada (eu nunca reparo no tempo dessa torta, mas acho que varia de 20 a 40 minutos para assar). Corte em pedaços retangulares e sirva morna ou fria.

Fonte: Pecado da Gula e Iliane Brasileiro, que disseminou a receita na internet.

22

Torta de Abóbora com Queijo e Tomates


Preciso deixar bem claro que a massa dessa torta é sensacional, tanto em textura como em sabor. O preparo dela é semelhante ao de um bolo, o que talvez não seja muito prático pra algumas pessoas, mas acredite que vale a pena usar a batedeira numa receita salgada. Acabei esquecendo de usar o leite dessa vez, mas fez pouca ou nenhuma diferença.
Ao dizer que a massa é deliciosa, não quero diminuir o papel do recheio, afinal o queijo com tomates refogados no alho também ficou incrível, mas se você quiser tentar a versão original com carne de sol e cebola, fique à vontade.
Quero dedicar essa torta à minha amiga Akemi, do Pecado da Gula, um dos meus blogs preferidos, que comemora 6 anos essa semana e que está recebendo pratos para a comemoração. Espero que goste, querida! Parabéns!


Acredito que agora esteja tudo certo, mas caso haja algum problema com os comentários, me avisem nas postagens anteriores!

Ingredientes:
Massa:
250 g de manteiga
4 gemas
4 claras em neve
50 de queijo parmesão ralado
400 g de abóbora cozida e amassada em consistência de purê
100 ml de leite (não usei)
250 g de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
Pitada de sal (ou a gosto)

Recheio:
1 dente de alho picado ou espremido
1 colher (sopa) de azeite
1 pimentão vermelho sem pele picado
200 g de tomates assados ou tomate seco a gosto picado
100 g de queijo coalho ralado (ou outro queijo de sua preferência)
200 g de creme de leite
Sal e pimenta a gosto, se necessário

Para o recheio, refogue ligeiramente o alho e o pimentão no azeite. Apague o fogo e junte os tomates, o queijo e o creme de leite, misturando tudo. Os tomates assados ou os tomates secos já são temperados, portanto teste o tempero e verifique se precisa de sal e pimenta. Reserve para esfriar enquanto prepara a massa.
Preaqueça o forno em 180°. Unte e polvilhe uma assadeira ou refratário (usei um refratário médio, de 28×18 cm). Na batedeira, bata a manteiga com as gemas e o parmesão por 10 minutos. Acrescente a abóbora, o leite, a farinha de trigo, o sal e o fermento e misture. Com uma espátula, incorpore, com cuidado, as claras em neve. Despeje metade da massa no refratário, distribua o recheio por cima e cubra com a outra metade. Se desejar, polvilhe queijo (não fiz). Leve para assar por 22 a 30 minutos (até que doure e passe no teste do palito).

Fonte: Adaptada de uma receita do Curso de Confeitaria do Senac.

6

Fritadas de Abobrinha


Não costumo fazer frituras e ultimamente virou até pecado comê-las, mas uma fritadinha dessas, de vez em quando, cheia de vegetais e ervas, quem resiste? Além do mais, acredito que dá pra fazer no forno também, só deve demorar mais pra ficar pronta. Um dia vou tentar e atualizo aqui. Pra ilustrar o quanto essas fritadas são boas, deixo um vídeo da Nigella pra convencê-los ainda mais.

Ingredientes:
4 abobrinhas raladas no ralo grosso
4 a 6 talos de cebolinha picados
Um punhado de salsinha fresca picada
Um punhado de hortelã fresca picada
1 colher (sopa) de hortelã seca
1 colher (chá) de páprica
1 xícara de farinha de trigo
3 ovos batidos
250 g de queijo feta (substituí por uma mistura de ricota e parmesão)
Sal e pimenta a gosto
Azeite para fritar
3 a 4 limões para servir

Retire o máximo de líquido que puder das abobrinhas, secando-as bem com um pano de prato limpo. Reserve. Numa tigela grande, misture a cebolinha, a salsinha e a hortelã. Tempere com a hortelã seca, a páprica, sal e pimenta (o sal vai depender de quanto o queijo é salgado). Junte a farinha de trigo, os ovos e o queijo, misturando bem. Por último acrescente a abobrinha, incorporando tudo. Numa frigideira quente com um pouco de azeite, distribua colheradas da mistura, formando as fritadas em formato de pequenas panquecas. Sirva na hora, com limão. Rende bastante, costumo fazer meia receita.

Fonte: Nigella – Forever Summer (Episódio “Green”).

8

Pãozinho com Queijo Coalho

Estava com excesso de queijo coalho quando vi essa receita. Como uns amigos iam dar uma passadinha rápida por aqui, resolvi fazê-los. É uma receita simples de fazer, o tempo de espera é curto e o resultado é ótimo. Numa próxima vez eu sovaria bem antes do primeiro crescimento, mas não tive tempo, daí os pães não terem ficado tão bonitos. Mas o sabor ficou muito bom, irei testar com outros recheios. A receita original é com cebola e deve ficar incrível.

Ingredientes:
2 e 3/4 de xícara de farinha de trigo (mais um pouco para dar ponto)
1 colher (sopa) de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de açúcar
1 xícara de leite morno
1 ovo
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal
Queijo coalho cortado em cubos para rechear
1 ovo batido com 2 colheres (sopa) de água para pincelar
Parmesão ou orégano para polvilhar

Numa tigela grande, misture o açúcar, o fermento, o leite morno e a farinha de trigo (toda ou uma parte, eu coloquei uma parte) e deixe a massa descansar por 5-10 minutos. Junte então o ovo, a manteiga e o sal e vá juntando mais farinha de trigo até começar a soltar das mãos. Sove bem sobre uma bancada (você pode dividir a massa em partes, para facilitar a sova). Volte a massa para a tigela, cubra com um pano úmido e deixe em um local onde não haja corrente de ar por 20 minutos. Divida a massa em bolinhas (a quantidade de pãezinhos que você quiser, eu fiz umas 20 bolinhas). Sove um pouco cada bolinha, abra um pouco sobre a mão, fazendo um disco e recheando com um cubo de queijo. Modele fechando o disco e cobrindo o queijo, para que forme novamente uma bolinha. Distribua as bolinhas recheadas numa assadeira grande untada e cubra mais uma vez com o pano por 20 minutos. Nessa hora você liga o forno em 200° para aquecer e já coloca um recipiente com um pouco de água na parte de baixo do forno. Pincele os pães com o ovo batido com água e polvilhe parmesão ou orégano. Leve para assar até que fique bem dourado (entre 20-30 minutos, mais ou menos).

Fonte: Pitadinha.