4

Muffins de blueberries [sem glúten e sem lactose]

389b
Essa receita me surpreendeu tanto que resolvi postá-la aqui. É a comprovação de que certas receitas “alternativas” podem ser mais saborosas que as convencionais. A massa ficou extremamente macia. Não sei como seria com outros tipos de farinha sem glúten, mas gostei muito do resultado.

Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de farinha sem glúten (usei Mix Dolci, da Schar)
2 colheres (chá) rasas de fermento em pó (sem glúten)
1/2 xícara de açúcar
1/4 de xícara de óleo vegetal
2 ovos grandes
1/2 xícara de leite de coco (ou outro leite vegetal)
1/2 colher (chá) de extrato de baunilha
3/4 de xícara de blueberries frescos (ou descongelados)

Misture a farinha com o fermento e o açúcar numa tigela grande e reserve. Em outra tigela, misture os ovos com o leite, o óleo e a baunilha, misturando bem. Agora misture tudo grosseiramente e acrescente as blueberries, sem bater a massa, apenas incorporando tudo. Distribua a massa em 8 forminhas de muffin e leve para assar em forno preaquecido em 180º por 20 a 25 minutos.

Fonte: baseada nessa receita.

19

Focaccia Sem Glúten

Sem querer ofender algum purista, o nome focaccia está aqui como uma referência, a intenção é apenas de alternativa a quem não pode consumir glúten ou mesmo quem aprecia uma massa com textura diferente, que é o meu caso. Essa receita pode ser usada como torta, no formato de focaccia ou mesmo como pizza, dependendo da forma que você utilizar (claro que como torta ela fica mais macia, como pizza fica mais sequinha). Eu achei que ficou muito boa, ela fica crocante por fora e levemente úmida por dentro, mas depois de fria seca totalmente. Espero que gostem.

Ingredientes
Massa:
3 ovos
1/2 xícara de óleo
200 ml de leite de coco
200 g de fécula de batata
3/4 de xícara de creme de arroz (ou farinha de arroz)
1/4 de xícara de amido de milho
1 colher (chá) de sal (ou a gosto)
Pimenta-do-reino a gosto
1 colher (chá) de fermento em pó

Cobertura (sugestão):
1 tomate sem sementes, picado
1 cebola roxa pequena, em rodelas finas
Folhas de manjericão
Pesto
Azeitona picada
Parmesão ralado
Fio de azeite de oliva extra-virgem

Preaqueça o forno em 180º. Separe uma assadeira (de média pra grande, mais ou menos 30x22cm) e forre-a com papel manteiga. Bata no liqüidificador todos os ingredientes da massa, com exceção do fermento (a massa fica um pouco pesada, você pode deixar para acrescentar parte da fécula de batata junto com o fermento). Transfira para uma tigela e só então incorpore o fermento. Despeje a massa na assadeira (se quiser dar um formato de pontas arredondadas basta movimentar a assadeira, deixando a massa espalhar) e distribua sobre ela os ingredientes da cobertura desejada. Leve para assar por cerca de 40 minutos.

Fonte: baseada numa receita de torta de liquidificador, aqui.

4

Crumble de Pêras e Blueberries [Sem Glúten]

Não me surpreendi ao constatar que essa versão fica até mais saborosa do que a receita que costumo fazer e que serviu de base pra esta. Sementes e castanhas são excelentes substitutos no crumble justamente por serem mais crocantes. Caso queira, o açúcar pode ser diminuído, especialmente se as frutas que você usar estiverem doces. Para fazer a farinha sem glúten, você pode usar uma mistura de castanhas e sementes da sua preferência, eu usei o que eu tinha em casa. Eu não testei, mas pode ser usada uma parte de amido de milho ou farinha de arroz também.

Ingredientes:
6 pêras (usei portuguesas)
200 g de blueberries (opcional)
1 colher (chá) de canela (pode ser opcional, se quiser menos canela)
Farofa doce (crumble):
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de açúcar mascavo
1 e 1/4 de xícara de farinha sem glúten*
1 colher (chá) de fermento (sem glúten, observe a embalagem)
1 ovo

*Farinha sem glúten:
2 colheres (sopa) de semente de linhaça
2 colheres (sopa) de quinoa em flocos
2 colheres (sopa) de gergelim
O quanto baste de amêndoas ou outro tipo de castanha

Cobertura:
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de canela
1 colher (sopa) de manteiga derretida

Preaqueça o forno em 160°. Prepare primeiro a farinha: bata no liquidificador quaisquer sementes que você queira usar com um bom punhado de amêndoas suficiente para que a mistura renda pouco mais de uma xícara. Deixe o mais fina que puder.
Misture todos os ingredientes do crumble, inclusive a farinha preparada, e reserve. Fica parecido com areia molhada.
Corte as pêras em cubos, misture-as com as blueberries e a canela e despeje tudo sobre um refratário untado com manteiga. Cubra as frutas com a farofa, distribuindo bem, fazendo uma camada, sem misturar. Para a cobertura misture o açúcar e a canela e salpique por cima. Por último despeje a manteiga por cima de tudo. Leve para assar por 1 hora. Sirva com sorvete de creme.

27

Biscoitos de Fubá [Sem Glúten]


Essa receita foi uma das primeiras que fiz na vida. Provavelmente entre os 8 e os 10 anos de idade. Lembro que aqueles biscoitos não se pareciam em nada com estes. Eu não achava que mudar as quantidades dos ingredientes alterasse o produto final, ou pelo menos não me importava. Se só tinha uma xícara de amido, tudo bem! Não tinha fubá, mas dava pra fazer com farinha de milho! E assim a massa dos meus biscoitos se tornava uma papa grossa bem estranha e o pior: eles até que ficavam bons!
Fazendo agora da maneira certa me surpreendi: a massa é muito boa de lidar e modelar, e os biscoitinhos derretem na boca, deliciosos. Além disso, a receita serve como sugestão à proposta da Leila de que neste mês de maio apareçam algumas receitas sem glúten nos blogs de culinária.
De qualquer maneira um dia os farei com farinha de milho em nome da nostalgia.

Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de fubá
2 xícaras de amido de milho
1 xícara de açúcar
1 xícara de manteiga em temperatura ambiente
1 gema
1/4 de xícara de leite

Misture bem os ingredientes secos: fubá, amido e açúcar. Junte a manteiga, a gema e o leite e amasse com as mãos até obter uma massa lisa e uniforme. Modele bolinhas com a massa, dispondo-as em assadeiras untadas (se forem anti-aderentes não precisa). Achate a superfície das bolinhas com um garfo, formando os biscoitos. Outra opção é usar cortadores, fiz pequenas “lunas” com a metade da massa – dá para abrir a massa sem problemas com um rolo, sem precisar enfarinhar a superfície.
Asse em forno moderado (170°) por cerca de 20 minutos, até que dourem ligeiramente nas bordas.

Fonte: Recorte antigo sem fonte.

31

Torta de Patê de Alho-Poró [Sem Glúten]

Mesmo para uma viciada em trigo como eu, tem horas em que o glúten pesa e cansa. Por isso tenho uma atração por receitas sem farinha de trigo, até porque elas podem ser saborosas também. E fáceis, como essa de liquidificador. Tinha uma caixa de Arrozina em casa e eu juro que não lembro porque comprei, mas pareceu ideal para aproveitá-la. Seguindo a lógica das tortas salgadas de liquidificador cheguei nessa massa e ficou ótima, fofinha e saborosa. E como preferi fazer cobertura ao invés de recheio ela ficou mais macia ainda, fugindo daquela textura de pudim que acontece às vezes com esse tipo de torta.
A cobertura, a propósito, é uma receita à parte. Trata-se de uma adaptação do Patê Assado de Cebolas da Cinara, que já fiz algumas vezes substituindo a maionese por creme de leite e a cebola por alho-poró. Esse patê vale a pena, muito fácil e rápido de fazer, e fica delicioso. E funcionou muito bem como cobertura, já que o tempo de forno é o mesmo e tem a vantagem de você fazer um “pão” que já vem com patê.

Ingredientes:
Massa:
4 ovos
3/4 de xícara de óleo
1 xícara de leite
1 xícara de queijo ralado (usei coalho)
2 xícaras (200 g) de Arrozina ou Creme de Arroz ou farinha de arroz
1/2 xícara de amido de milho
1 colher (chá) de sal (ou a gosto)
1 colher (sopa) de fermento em pó

Cobertura (Patê Assado de Alho-Poró):
220 g de cream cheese em temperatura ambiente
1 xícara (caixinha de 200 g) de creme de leite
1 xícara de queijo parmesão ralado
1 xícara de alho-poró picado
1 colher (sopa) de pimenta-do-reino moída na hora
1 pitada de sal

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador (pode deixar o fermento para incorporar em separado, se quiser, para garantir uma massa mais fofinha). Derrame toda a massa num refratário. Para a cobertura, é só misturar bem todos os ingredientes e ir jogando colheradas sobre a massa (ainda crua), distribuindo bem. Leve para assar até a massa ficar bem morena e a cobertura dourada, de 30 a 40 minutos.

Fonte: Cinara’s Place (cobertura).

17

Pão de Polvilho


A Daninha do Cine Bistrot postou recentemente várias receitas sem glúten e essa foi uma das que me interessei em fazer. Muito prático e muito bom esse pão! É o tipo de receita que você repete sempre, pois vale a pena! Apesar de lembrar pão-de-queijo, ele tem uma textura e sabor diferentes, mas não sei se ficaria mais parecido se usado outro queijo – ele fica mais sequinho, mais pão e menos queijo (na foto parece molhadinho porque ainda estava quente). Em casa eu só tinha parmesão, mas fiquei imaginando como ficaria com um coalho ou de minas, mas logo vou descobrir.

Ingredientes:
3 ovos
1/2 colher (chá) de sal (a gosto)
3/4 de xícara (chá) de óleo
1/4 de xicara (chá) de água
2 colheres (sopa) de açúcar
1 xícara (chá) de queijo ralado
2 xícaras (chá) de polvilho doce (fécula de mandioca)
1 colher (sopa) de fermento em pó

Bata bem todos os ingredientes no liquidificador, com exceção do fermento. Acrescente à massa o fermento (pulse um pouco no liquidificador, se quiser, mas não bata). Despeje a mistura numa fôrma não-untada de pão de fôrma (bolo inglês). Asse em forno médio até ficar dourado (cerca de meia hora).

Fonte: Cine Bistrot.