0

Sopa de Tomate e Arroz da Nigella

Essa receita da Nigella fica entre um risoto e uma sopa e é muito prática e saborosa. Conheci através da Eliana, em seu antigo blog, há bons 10 anos atrás.

1 xícara (chá) de arroz basmati (funciona com arroz comum também)
1 lata de tomate pelado
3 xícaras de água ou caldo de legumes
1 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
3 colheres (sopa) de azeite
Sal e pimenta a gosto
Parmesão ralado para polvilhar

Refogue a cebola e o alho no azeite. Junte o tomate e mexa bem para que os pedaços fiquem menores. Acrescente o arroz, a água e o sal e mexa de vez em quando, até que o arroz fique cozido. Sirva quente com azeite e parmesão ralado.

Anúncios
23

Minestrone de Outono no Verão

Sem ser rigorosa na definição, o minestrone é uma sopa com muitos ingredientes, feita com uma base refogada e que deve conter legumes da estação, incluindo quase sempre feijão e algum tipo de macarrão. Esta receita é do livro A Itália de Jamie e o resultado foi perfeito, mesmo fazendo-a numa versão vegetariana. Ficou bastante encorpada e serve quase como remédio naqueles dias em que o corpo precisa de mais nutrição. Numa sopa que não possui regras, afinal você usa o que tem disponível, as únicas regras indicadas pela receita são: usar um bom caldo, fazer o refogado lentamente e observar a estação dos ingredientes.
E por falar em estação, estamos em pleno verão, mas na minha cidade é uma época em que a temperatura cai e chove ocasionalmente. Não que eu precise dessa desculpa para fazer sopa, pois o fortalezense toma sopa à noite o ano inteiro: a temperatura daqui é tão constante que isso quase não interfere nas nossas escolhas do que comer. E se eu precisasse de uma desculpa para fazer esse minestrone novamente, eu diria que essa sopa foi uma das melhores que já tomei.

Ingredientes (6-8 porções):
200-300 g de feijão cozido sem caldo (ele sugere o branco ou o italiano rajado, usei feijão preto, mas adoraria ter usado feijão verde) (separe um pouco do caldo caso seja necessário usar no final da sopa)
4 tiras de bacon (não usei, imagino que fique bom, mas não senti falta)
2 cebolas roxas pequenas, descascadas e picadas finamente
2 cenouras descascadas e picadas
2 talos de salsão (aipo) aparados e picados (não usei)
1/2 cabeça de funcho (erva-doce) picada (não usei)
3 dentes de alho descascados e picados finamente
1 punhado de manjericão fresco, folhas e talos separados (troquei por salsinha fresca)
2 latas (400 g cada) de tomates pelados
2 abobrinhas pequenas picadas (tirei a casca e o miolo esponjoso)
1 batata média descascada e picada em cubos pequenos (acrescentei, não tem na receita original)
1 xícara de milho verde cozido (acrescentei, não tem na receita original)
1 taça de vinho tinto
200 g de acelga ou espinafre, lavado e picado grosseiramente (usei espinafre congelado)
550 ml de caldo de galinha ou de presunto ou de legumes (usei de legumes)
80 g de massa de macarrão seca e curta (usei serpentini, se usar massa longa, quebre antes)
1 pedaço de queijo parmesão, para servir (não usei)
Azeite de oliva para refogar
Azeite de oliva extra-virgem para servir

Primeiro faça o refogado (soffritto): aqueça um pouco de azeite de oliva numa panela com cabo e junte o bacon (que eu não usei), a cebola, a cenoura, o salsão, o funcho, o alho e os talos de manjericão (no caso usei os talos da salsa) bem picados. Refogue lentamente em fogo baixo, com a tampa pela metade, por cerca de 15 minutos, ou até que fiquem macios, mas não escuros.
Acrescente os tomates, a batata, as abobrinhas e o vinho tinto e cozinhe em fogo brando por 15 minutos. Depois disso, acrescente o caldo e deixe cozinhando até as batatas ficarem levemente cozidas, uns 10 minutos (adicionei também um pouco de sal, já que eu não usei o bacon). Por fim, junte o espinafre (ou a acelga) e o feijão. Acrescente a massa de macarrão e deixe ferver até que a massa esteja cozida. Se for preciso, junte um pouco mais de caldo de legumes ou o caldo do feijão reservado, ajustando a consistência da sopa conforme o seu gosto. Prove e tempere com sal e pimenta. Sirva com as folhas de manjericão (usei folhas de salsinha) rasgadas por cima e um pouco de azeite de oliva extra-virgem. Se desejar, rale um pouco de parmesão sobre a sopa.

Fonte: A Itália de Jamie – Jamie Oliver.

24

Sopa de Maçã Verde e Queijo Cremoso


Adoro sopas. Geralmente não são difíceis de fazer, são confortantes e com um pãozinho então, eu vou às lágrimas. Essa sopinha é diferente e saborosa e a maçã com o queijo fazem com que ela fique cremosa e especial.

Ingredientes (4 porções):
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola média picada
2 talos de salsão picado (substituí por um talo de alho-poró)
4 maçãs verdes sem casca e sem sementes cortadas em cubos
Sal e pimenta a gosto
800 ml de caldo de legumes
100 g de cream cheese

Aqueça o azeite, refogue a cebola, o salsão (ou alho-poró) e a maçã. Tempere com sal e pimenta (cuidado, se for usar caldo com sal, deixe para acertar o sal depois). Adicione o caldo de legumes e cozinhe até os ingredientes ficarem macios. Desligue o fogo, misture o cream cheese. Espere esfriar, bata no liquidificador até formar um creme. Volte à panela, aqueça e sirva em seguida.

Fonte: Claudia Cozinha, Julho 2006.

Veja essa receita preparada no 7º Inter-Blogs do DCPV.

12

Sopa de Grão-de-Bico Picante


Sempre que eu uso curry eu me transporto a uma certa época em que eu costumava fazer alguns pratos indianos. Já que hoje em dia raramente uso esse tempero, é como uma viagem no tempo estilo Ratatouille. Mas estamos sempre construindo novas lembranças e essa sopa me fez imaginar a cozinha da Agdá e como ela deve ser perfumada de especiarias… Bom, mas o que importa é que a sopa é deliciosa, picante, porém suave; cremosa e diferente. Pena que à noite as fotos aqui não saiam boas, mas recomendo mesmo a receita.

Ingredientes (4 porções):
3 colheres (sopa) de azeite
1 cebola picada
5 dentes de alho picados
2 tomates sem pele e sem sementes picados
1 cenoura picada
1/4 de colher (chá) de pimenta calabresa
1 colher (sopa) de cominho
1/2 colher (chá) de curry
Sal a gosto
2 latas de grão-de-bico em conserva (ou 500 g de grão-de-bico cozido)
1 litro de caldo de legumes
3 colheres (sopa) de manjericão picado
3 colheres (sopa) de sumo de limão
3/4 de xícara de queijo parmesão ralado

Em uma panela, aqueça o azeite, doure a cebola e o alho. Acrescente o tomate e a cenoura. Tempere com a pimenta, o cominho, o curry e o sal. Adicione o grão-de-bico e, aos poucos, o caldo de legumes. Deixe cozinhar por 20 minutos em fogo brando. Deixe esfriar um pouco e passe metade da sopa no liquidificador. Volte à panela, tempere com o manjericão, o sumo de limão e deixe levantar fervura. Sirva a sopa em seguida, com o queijo parmesão.

Fonte: Claudia Cozinha, julho 2006.

16

Sopa de Milho Verde


Milho dando sopa, literalmente. Ficou uma delícia, é daquelas sopas capazes de curar alguém da gripe, bem “levanta moral”. Acompanhantes foram as torradinhas – essenciais com sopa, pra mim, ainda que as de pão francês sejam melhores – e um punhadinho de queijo ralado, porque a sopa já estava muito light com esse bacon todo.
Durante o processo de passar o milho na peneira, percebi que grande parte do milho iria se perder, então guardei o “bagaço” pra ver se faço alguma coisa com ele amanhã, talvez um pão (se alguém tiver alguma sugestão…).

Ingredientes:
2 colheres (sopa) de azeite
3 dentes de alho picados
4 xícaras de milho verde (mais ou menos 5 espigas)
4 fatias de bacon* em pedaços
6 xícaras de caldo de galinha (usei de legumes)
2 colheres (sopa) de farinha de trigo**

Coloque numa panela o azeite e leve ao fogo para esquentar bem. Junte o alho e frite até dourar. Acrescente o milho, o bacon e misture. Refogue por 5 minutos. Coloque no liqüidificador, junte um pouco do caldo e bata bem. Passe por uma peneira e ponha em uma panela com o caldo restante e a farinha dissolvida em um pouco de caldo. Leve ao fogo, mexendo sempre, até ferver, engrossar ligeiramente e sentir o sabor do milho cozido. Rende de 3 a 4 porções.

*Acho que 4 fatias é muito bacon, se eu repetir a receita, com certeza usarei bem menos.
**Por erro da revista, a quantidade de farinha de trigo não aparece nos ingredientes, usei 2 colheres, acho que ficou bom.

Update: Pão de Milho feito com o bagaço.

Fonte: Revista Claudia Cozinha de junho de 2006.