Pavlova de Maracujá


Já perdi a conta de quantas vezes fiz essa Pavlova da Nigella, mas nunca havia postado a receita por aqui, até porque ela já está manjada nos blogs (o que é sinal de que é muito boa). É uma sobremesa leve no paladar e meio dramática no visual, dependendo do que você use como cobertura. É uma ótima maneira de servir frutas, mas eu acabo sempre usando maracujá. Mesmo que você use outros tipos de frutas, sugiro que use o maracujá como base, com ou sem sementes.
A Nigella possui várias versões dessa receita. Aqui utilizei a do livro Feast (meia receita, pois nesta ela usa 8 claras), mas no vídeo abaixo você pode conferir que é praticamente igual à versão do Bites.

Ingredientes:
4 claras
Pitada de sal
250 g de açúcar
2 colheres (chá) de amido de milho
1 colher (chá) de vinagre de vinho branco
1/2 colher (chá) de extrato de baunilha
200 ml de creme de leite (usei de caixinha)
2 ou 3 maracujás (e/ou outras frutas, de preferência mais azedas)
Coco ralado (opcional, não usei)

Preaqueça o forno em 180°. Risque um círculo de 20 cm num pedaço de papel manteiga e reserve-o juntamente com uma assadeira (geralmente uso a de pizza). Usando a batedeira, bata as claras com o sal até que forme picos lisos. Com a batedeira ligada, vá jogando o açúcar, em colheradas, até que surja um merengue firme e brilhante. Fora da batedeira, salpique o amido de milho e acrescente o vinagre e a baunilha. Incorpore com a ajuda de uma espátula, com cuidado, sem misturar muito, apenas para incorporar mesmo. Separe uma colher de chá do merengue e ponha sobre a forma, bem no centro. Ponha então o papel por cima: o merengue vai segurá-lo no lugar. Despeje o merengue com cuidado sobre o papel, formando a base da pavlova, seguindo a linha do círculo e achatando um pouco o topo. Você pode deixar as laterais bem lisas ou formar picos (como fiz), caso queira. Leve ao forno e imediatamente baixe a temperatura para 150°. Deixe assar por cerca de 1 hora e 15 minutos: ele deverá crescer e ficar bem seco e quebradiço. Desligue o forno, abra a porta e deixe esfriar completamente (confesso que essa parte de esfriar eu quase nunca obedeço).
Retire o papel manteiga da base e aqui você tem duas opções: a Nigella costuma inverter a base e usar o fundo como topo. Eu prefiro deixá-la na mesma posição em que assou, acho que fica mais bonito. Separe a base num prato de servir. Se você for usar creme de leite fresco, bata-o até atingir o ponto anterior ao chantilly. Se usar o de caixinha, simplesmente despeje-o sobre o topo da pavlova (se usar o de lata, tire o soro). Corte os maracujás e despeje-os com uma colher sobre a pavlova. Caso vá usar alguma outra fruta, finalize com ela. Outra opção é polvilhar coco ralado por cima.

Fonte: Feast: Food that celebrates life – Nigella Lawson.

Anúncios

15 comentários sobre “Pavlova de Maracujá

  1. Luna, tudo bem?
    Sempre ouço falar dessa receita, mas fico temerosa de tentar fazer e ficar ruim… Ainda mais que sou fã da textura meio suspiro que fica e não quero ficar frustrada… Entende?
    Mas vou tentar, não agora, mas em breve penso em me arriscar e colocar em prática a receita.
    Abraços mil!

  2. Oi, Anita, é verdade, por isso quis colocar o vídeo porque dá pra ver melhor como fica a textura do merengue. Beijinho! 😉

    Lylia, obrigada, pra você também, querida! 😀

    Sandreane, tudo bom? Não fique com medo não, menina, é super simples de fazer e se você gosta de suspiro vai adorar! 🙂

    Vivian, o merengue fica bem doce, mas é justamente pra balancear o azedo do maracujá, quando você está comendo não sente que está tão doce, entende? Beijinho! 🙂

  3. Adorei a receita, já fiz parecido com caqui, mas era mais um merengue, não uma Pavlova (chic!). Outra receita a fazer…se continuar frequentando seu blog vou engordar…abs!

  4. Wair, deve ficar bom com caqui também, nunca provei. Abraço e volte sempre! Olhar não engorda, rs.

    Conceição, fica ótimo, você já fez pavlova? Bj!

  5. Eu fiz a Pavlova porém deu errado pois, a casca ficou crocante e tal mas na parte de dentro onde era pra ficar fofinho murchou deixando assim um espaço gigante entre a casca superior e o interior, ficou só uma fina camada de massa fofinha, gostaria de saber se você sabe o porque que isso aconteceu, se você sabe me dizer onde eu errei e como posso evitar isso.

    • Thiago, talvez seu forno estava muito quente? Tem que estar numa temperatura bem baixa, do contrário a casquinha se forma e o interior não cozinha. Mas isso já aconteceu comigo algumas vezes e eu não me importo muito. Às vezes a parte de esfriar também ajuda a assentar mais a base.
      Boa sorte na próxima! =)
      Luna.

  6. Então e a temperatura mesmo? kkkk Mas eu até coloquei a colher de pau na porta do forno para a temperatura ficar mais baixa já que o minimo do meu forno e 180° : /, pelo jeito e sorte mesmo kkk, da próxima vou torce pra que der certo 😉 .
    Obrigado

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e responderei aqui mesmo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s