6

Clafoutis de Ameixa

Sobremesas quentinhas me parecem ainda melhores em um lanche da tarde do que mesmo após as refeições. Essa ameixa pequena (não lembro o nome dessa variedade) é bem doce e assada fica ainda mais especial. Acompanhe com um bom sorvete e o conforto está completo.

Ingredientes:
400 g de ameixas (a receita sugere 7 ameixas grandes, usei 9 pequenas)
1/3 de xícara de farinha de trigo
1/3 de xícara de açúcar (mais um pouco para polvilhar)
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara de creme de leite
3 ovos grandes
Um pouco de manteiga para untar a forma

Preaqueça o forno em 180º. Unte um refratário pequeno ou médio com manteiga e polvilhe com um pouco de açúcar. Distribua as ameixas sobre o refratário cortadas ao meio e sem sementes (eu usei ameixas inteiras, cortei um pouquinho da base para que ficassem em pé). Numa tigela grande, misture bem o trigo, o açúcar, a baunilha, o creme e os ovos com ajuda de um fouet para que fique homogêneo. Despeje por entre as frutas e leve para assar por cerca de 35 minutos ou até que cresça e fique dourado. Sirva quente com sorvete de baunilha.

Fonte: Modern Classics Book 2 – Donna Hay.

Anúncios
12

Trifle de Framboesa e Creme de Queijo

Embora eu ache a data muito fofa, não costumo comemorar o Valentine’s Day. Ainda assim não consigo deixar de lembrar de duas coisas: o Charlie Brown levando sua maletinha pra escola, esperando receber muitos cartões, e sobremesas feitas com morango ou framboesas.
Este trifle é tão simples de fazer que nem precisa esperar por datas especiais, como vocês podem ver no vídeo abaixo. Ainda assim fiz algumas alterações na receita original, apenas para que ficasse mais prática pra mim. Então, se você gosta de fazer algo especial para essa data, mas em plena terça-feira não se programou, eis uma opção rápida e cheia de coraçõezinhos.

Ingredientes (4 porções):
12 biscoitos champanhe
4 colheres (sopa) de Cointreau (ou use o suco que liberar das frutas)
400 g de framboesas frescas ou descongeladas (pode ser morango, amora, mirtilo…)
4 colheres (sopa) de açúcar
1/2 xícara de cream cheese (originalmente mascarpone)
1/2 xícara de creme de leite
1/2 xícara de leite condensado (originalmente adoçado com açúcar)
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha

Corte os biscoitos ao meio e forre o fundo dos copos ou taças com eles, usando 3 biscoitos para cada porção. Regue-os com o licor. Misture as framboesas com o açúcar e amasse tudo com um garfo, misturando tudo. Jogue por sobre os biscoitos, distribuindo para todas as taças. Com um fouet, bata o cream cheese com o creme de leite, a baunilha e o leite condensado até que fique bem liso. Cubra a sobremesa com esse creme. Leve para gelar até a hora de servir. Caso você faça o creme com antecedência e deixe na geladeira, pode montar a sobremesa na hora de servir.

Fonte: Adaptado de Donna Hay – Fast, Fresh, Simple, Episódio 3 (Fox Life).

14

Brownies de Natal com Chocolate Branco e Amoras

Ontem fui na casa de uma amiga que estava comemorando seu final de graduação e quis levar-lhe algo. Ela não é muito de doces, mas estes brownies com framboesas da Akemi me pareceram algo mais azedinho e amargo para quem não é chegado no açúcar. Eu tinha certeza que tinha framboesas no freezer, mas na verdade eu só tinha amoras e mirtilos, então tive que ir de amora mesmo. Sugiro, no entanto, que use framboesas, pois apesar do sabor combinar com o chocolate, as sementinhas da amora podem incomodar. Pena que deixei o brownie passar do ponto e ele ressecou um pouco, então tenha cuidado com o tempo de forno. Uma lição que aprendi na época em que vendia brownies e que nesta ocasião acabei relaxando.

Ingredientes:
250 g de manteiga sem sal, cortada em pedaços
250 g de chocolate amargo, cortado em pedaços (usei meio-amargo)
1/4 de xícara de cacau em pó (adicionei porque o chocolate tinha pouco cacau)
3 ovos grandes
1 xícara (chá) de açúcar mascavo, medido apertado (usei metade açúcar mascavo, metade açúcar cristal)
1 xícara (chá) de farinha de trigo, peneirada
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 xícara de framboesas congeladas (usei amoras congeladas)
1/2 xícara de chocolate branco picado
Açúcar de confeiteiro para polvilhar (não usei)

Preaqueça o forno em 170°. Unte e forre com papel manteiga uma assadeira de 27x17cm. Deixe o papel sobrar um pouco para facilitar quando for retirar o brownie.
Derreta a manteiga e o chocolate juntos em banho-maria ou no microondas numa temperatura média-alta por 2 a 3 minutos, observando a cada minuto e misturando, até que fique homogêneo (aqui adicionei o cacau e misturei bem). Deixe esfriando por 5 minutos.

Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até que fique um creme pálido. Junte o chocolate derretido, misture bem e incorpore a farinha de trigo e o fermento. Nesta etapa, a Akemi fez diferente e eu fiz mais ou menos como ela: misturei o açúcar e os ovos com um fouet, apenas para misturar um pouco. Juntei o chocolate, bati mais um pouco e depois incorporei a farinha de trigo e o fermento. A diferença entre as duas formas de preparo é que a primeira vai garantir uma casquinha mais grossa e crocante ao brownie, mas se você quiser uma maneira mais prática com resultado semelhante, pode dispensar a batedeira.

Despeje a metade da massa na assadeira preparada. Distribua as framboesas e o chocolate branco. Cubra com a outra parte da massa e leve para assar por 25 a 35 minutos, até que ele fique firme ao toque. O meu passou do ponto (deixei 35 minutos, mas meu forno é muito forte), então fique atento ao tempo de forno. Deixe esfriar completamente antes de cortar. A receita sugere levar para a geladeira para firmar depois de fria, mas eu não gosto de brownie na geladeira. No entanto, como esse brownie no ponto certo fica bem cremoso, talvez seja interessante deixar mesmo. Polvilhe açúcar de confeiteiro antes de servir ou embalar em celofane.

Fonte: Pecado da Gula e Taste.

19

Panetone


Confesso que nunca fui muito fã de panetone ou qualquer coisa que levasse frutas cristalizadas. Mas isso porque os panetones industrializados geralmente usam frutas de péssima qualidade (mamão verde com corante). Ao fazer um caseiro, você pode escolher as frutas de sua preferência, afinal o panetone nada mais é que um pão macio e amanteigado com frutinhas. Cranberries secas, uvas passas, caju em passas… Eu usei damascos e tâmaras secas.
Nesta receita, o pão fica bem com textura de brioche. A distribuição das frutas não ficou perfeita, mas acredito que é porque eu deixei a massa bem úmida, não queria que ele ficasse seco depois de esfriar. É uma ótima receita pra quem nunca fez panetone, se você já fez qualquer pão com sova, não tem mistério nenhum, tanto que no dia seguinte eu fiz novamente.

Ingredientes:
400 g de farinha de trigo (mais 1/4 de xícara para dar o ponto)
1/2 colher (chá) de sal
5 g de fermento biológico seco (ou 15 g do fresco)
120 ml de leite morno
2 ovos levemente batidos
2 gemas
6 colheres (sopa) de açúcar
150 g de manteiga em temperatura ambiente
150-200 g de frutas secas de sua preferência (usei damascos e tâmaras)
1 colher (sopa) de rum (dessa vez usei Cointreau)
1/2 colher (sopa) de extrato de baunilha
Raspas de 1 limão (usei algumas gotinhas do sumo também)
1 pitada de noz moscada
Manteiga derretida para pincelar (1 a 2 colheres de sopa)

Prepare um recipiente fundo para assar o panetone. Eu usei uma lata (daquelas de cereais) com 13 cm de altura e 13 cm de diâmetro pois eu queria que ficasse bem alto (a receita original sugere uma forma funda de 15 cm de diâmetro). Se usar uma lata (veja aqui como preparei a lata), coloque uma assadeira pequena embaixo para servir de apoio na hora em que for retirar do forno. Você pode usar uma forma grande de suflê ou formas de papel próprias para panetone. Unte bem a sua forma com manteiga e, usando papel manteiga, faça um círculo para forrar o fundo da forma e um cilindro para forrar as laterais, de forma que este cilindro seja mais alto que ela, passando uns 8 cm, para que o pão tenha bastante espaço para crescer. Este da foto ficou com 18 cm de altura depois de assado.

Peneire a farinha de trigo e o sal numa tigela grande e faça um buraco no centro. Misture o fermento com o leite morno e despeje sobre esse buraco, juntamente com os ovos inteiros. Vá misturando com um garfo, somente no centro, adicionando, com o movimento, a quantidade de farinha de trigo necessária para que se forme uma pasta grossa. Polvilhe um pouco de trigo sobre essa pasta e leve para um local sem correntes de ar para descansar por 30 minutos e formar a esponja.

Agora adicione as gemas e o açúcar e misture tudo, inclusive o trigo que ficou nas laterais da tigela, até formar uma massa macia. Incorpore a manteiga e leve para sovar numa bancada levemente enfarinhada. Nessa etapa a massa fica bem mole. Você pode acrescentar mais um pouco de farinha, se for necessário. Eu usei 1/4 de xícara a mais. O ponto é uma massa lisa e úmida, mas que solta levemente das mãos, não acrescente farinha demais. Para que não grude tanto, use uma espátula de silicone ou raspador para ajudar a soltar da bancada. Sove por uns 5 minutos. Volte-a para a mesma tigela (se usar outra tigela, unte levemente com manteiga), cubra com filme plástico e/ou um pano e deixe crescer por 1 hora e meia a 2 horas, num local sem correntes de ar, até que dobre de tamanho.

Enquanto isso, pique as frutas e coloque-as num recipiente com o rum, as raspas de limão, a baunilha e a noz moscada. Misture tudo e reserve. Terminado o descanso, soque a massa e despeje-a sobre a bancada novamente (levemente enfarinhada). Adicione as frutas e incorpore-as na massa levemente. Faça uma bola e despeje com cuidado na forma preparada. Cubra com um pano e leve para crescer, dessa vez por 1 hora ou até que dobre de tamanho. Faltando uns 20 minutos para terminar o descanso da massa, acenda o forno em 200°.

Faça um corte de cruz no topo da massa e pincele com metade da manteiga derretida. Asse o pão por 20 minutos. Abra o forno, pincele novamente o topo com o restante da manteiga e abaixe a temperatura para 180°. Asse por mais 25 a 30 minutos, ou até que esteja bem dourado. Deixe esfriar por 10 minutos antes de desenformar. Esfrie em grelha.

Fonte: Afternoon Tea – Molly Perham.

16

Musse de Chocolate Vegana


É engraçado como aparecem pessoas para dizer como você deve viver sua vida. Parece frase de status do Facebook, mas não deixa de ser assustador. E o mais impressionante é que essas pessoas querem que você viva como elas, da maneira que acham certo, segundo seus próprios princípios, como se houvesse um molde de vida que servisse a todos ou fôssemos personagens de um videoclipe do Pink Floyd, marchando a favor de ser mais um tijolo na parede. E como se não bastasse, isso tudo vindo de quem no passado te inspirou a ser alguém livre de preconceitos e livre para escolher o diferente, quando verdadeiro.
Eu guardo a inspiração e escolho viver minha verdade, ainda que ela não faça sentido para quem está de fora.
E o que isso tem a ver com uma musse de chocolate? Só o fato dela ser diferente e ter que enfrentar tantos preconceitos, a coitada. Mas embora ela não entre nos moldes tradicionais de uma musse, é uma sobremesa agradável e singular, lutando para ser aceita no mundo.
Quem me indicou essa musse foi minha querida amiga Socorro, que tem estado em busca de receitas sem lactose para a filha. No meu paladar o abacate fica evidente (já testei com abacate comum e com avocado), mas muita gente que fez a receita sente apenas o sabor do cacau, portanto ajuste os ingredientes conforme seu gosto. Acompanhada de biscoitinhos doces fica bem saborosa.

Ingredientes:
300 g de abacate bem maduro (usei 2 avocados, o peso aqui é da polpa, sem casca ou caroço)
1/3 de xícara de cacau em pó
1 xícara de açúcar mascavo (adoce a gosto com o que preferir, já fiz com mel e fica muito bom)
6 castanhas-do-pará (serve para não deixar a musse aguada, caso use água)
1/4 de xícara de água mineral ou filtrada (somente se for necessário)
1/2 colher (chá) de rum (ou baunilha ou algum licor de sua preferência)

Com um processador ou liquidificador, bata a castanha-do-pará com um pouco da água pra formar um leite. Adicione o abacate e o açúcar e processe. Junte o cacau e os demais ingredientes até que fique cremoso e homogêneo. Se for necessário (principalmente se estiver fazendo num liquidificador com pouca potência), junte um pouco de água com cuidado, apenas pra facilitar o processo. Prove e veja se é necessário mais cacau ou mais açúcar conforme o seu gosto. Leve para a geladeira por no mínimo 2 horas. Na foto finalizei com raspas de castanha-do-pará.

Fonte: Cooking Books.

16

Pavlova de Chocolate com Framboesas


Acredito que a Pavlova cada vez mais tem se tornado um dos meus doces favoritos. Eu fico feliz quando sobra claras de outra receita pra que eu possa prepará-la. Apesar de ter um sabor tão especial, nada mais é que uma base de merengue coberta com creme e frutas, e leva esse nome por homenagem à bailarina Anna Pavlova. Esta feita com chocolate, portanto, seria, digamos assim, uma versão Odile da sobremesa.

Neste vídeo abaixo a Nigella usa 6 claras, mas o preparo é o mesmo: eu tive que aproveitar o que eu tinha e segui as quantidades da receita que sempre faço. Para que não fique tão bagunçada como a minha, você pode usar o creme batido para cobri-la e usar framboesas bem frescas: as minhas estavam meio sem graça e resolvi esmagá-las um pouquinho. Caso você não tenha framboesas, use morangos ou qualquer outra fruta que combine com chocolate.

Ingredientes:
4 claras
Pitada de sal
250 g de açúcar
2 colheres (sopa) de cacau em pó
2 colheres (chá) de vinagre
50 g de chocolate em barra picado grosseiramente
200 ml de creme de leite (usei de caixinha)
400 g de framboesas (ou outra fruta de sua preferência)

Preaqueça o forno em 180°. Risque um círculo de 20 cm num pedaço de papel manteiga e reserve-o juntamente com uma assadeira. Usando a batedeira, bata as claras com o sal até que forme picos lisos. Com a batedeira ligada, vá jogando o açúcar, em colheradas, até que surja um merengue firme e brilhante. Fora da batedeira, acrescente o vinagre, o cacau peneirado e o chocolate picado. Incorpore com a ajuda de uma espátula, com cuidado. Despeje o merengue com cuidado sobre o papel, formando a base da pavlova, seguindo a linha do círculo e achatando um pouco o topo. Você pode deixar as laterais bem lisas ou formar picos, como queira. Leve ao forno e imediatamente baixe a temperatura para 150°. Deixe assar por cerca de 1 hora: o merengue deverá crescer e ficar bem seco e quebradiço por fora. Desligue o forno, abra a porta e deixe esfriar completamente com a porta do forno aberta.
Retire o papel manteiga da base e aqui você tem duas opções: a Nigella costuma inverter a base e usar o fundo como topo. Eu prefiro deixá-la na mesma posição em que assou, acho que fica mais bonito. Separe a base num prato de servir. Se você for usar creme de leite fresco, bata-o até atingir o ponto anterior ao chantilly. Se usar o de caixinha, simplesmente despeje-o sobre o topo da pavlova: é assim que costumo fazer. Despeje as frutas sobre a pavlova. Se desejar, jogue por cima raspas de chocolate.

Fonte: Nigella Lawson – Programa Forever Summer – Episódio 6, “Brown”.

4

Crumble de Pêras e Blueberries [Sem Glúten]

Não me surpreendi ao constatar que essa versão fica até mais saborosa do que a receita que costumo fazer e que serviu de base pra esta. Sementes e castanhas são excelentes substitutos no crumble justamente por serem mais crocantes. Caso queira, o açúcar pode ser diminuído, especialmente se as frutas que você usar estiverem doces. Para fazer a farinha sem glúten, você pode usar uma mistura de castanhas e sementes da sua preferência, eu usei o que eu tinha em casa. Eu não testei, mas pode ser usada uma parte de amido de milho ou farinha de arroz também.

Ingredientes:
6 pêras (usei portuguesas)
200 g de blueberries (opcional)
1 colher (chá) de canela (pode ser opcional, se quiser menos canela)
Farofa doce (crumble):
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de açúcar mascavo
1 e 1/4 de xícara de farinha sem glúten*
1 colher (chá) de fermento (sem glúten, observe a embalagem)
1 ovo

*Farinha sem glúten:
2 colheres (sopa) de semente de linhaça
2 colheres (sopa) de quinoa em flocos
2 colheres (sopa) de gergelim
O quanto baste de amêndoas ou outro tipo de castanha

Cobertura:
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de canela
1 colher (sopa) de manteiga derretida

Preaqueça o forno em 160°. Prepare primeiro a farinha: bata no liquidificador quaisquer sementes que você queira usar com um bom punhado de amêndoas suficiente para que a mistura renda pouco mais de uma xícara. Deixe o mais fina que puder.
Misture todos os ingredientes do crumble, inclusive a farinha preparada, e reserve. Fica parecido com areia molhada.
Corte as pêras em cubos, misture-as com as blueberries e a canela e despeje tudo sobre um refratário untado com manteiga. Cubra as frutas com a farofa, distribuindo bem, fazendo uma camada, sem misturar. Para a cobertura misture o açúcar e a canela e salpique por cima. Por último despeje a manteiga por cima de tudo. Leve para assar por 1 hora. Sirva com sorvete de creme.

20

Loaf de Frutas Amanteigado


Ter um plano traçado é útil e prático. Mas deixar as coisas ao acaso de vez em quando pode ser bem interessante pra vida, ainda que arriscado e romântico. Quase nada arriscado se for uma simples receita escolhida ao acaso abrindo um livro delicioso da Donna Hay. E pra provar como às vezes o destino pode ser bondoso, é um bolo extremamente simples e prático de fazer, com uma textura macia, melhor que muitos bolos que precisam de batedeira, e ainda por cima eu tinha adquirido recentemente uma fôrma pequena ideal para a receita.
O original é feito com tâmaras e pecãs, mas você pode usar quaisquer tipos de frutas secas. Caso não tenha a fôrma desse tamanho, vale a pena dobrar a receita, pois é um loaf bem pequeno.

Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo
1 e 1/2 colher (chá) de fermento em pó
2/3 de xícara de açúcar refinado (usei cristal)
1/2 xícara de cranberries secas
1/2 xícara de uvas passas
1/2 xícara de castanhas-do-Pará picadas grosseiramente
125 g de manteiga
1/4 de xícara de leite
2 ovos

Preaqueça o forno em 160° (baixo). Numa vasilha grande, peneire a farinha e o fermento. Adicione o açúcar, as frutas e a castanha e misture tudo. Reserve.
Leve a manteiga e o leite ao fogo apenas para derreter. Adicione tudo à mistura de farinha, juntamente com os ovos e mexa até que esteja homogêneo (não precisa bater ou misturar demais).
Despeje a massa numa fôrma de 10cmx20cm (forma inglês pequena) e asse por cerca de 1 hora e 15 minutos ou até que passe no teste do palito (o meu assou em 1 hora e 5 minutos). Deixe esfriar por 5 minutos na forma.

Fonte: Modern Classics, Book 2 – Donna Hay.

9

Bolinho de Anjo com Brigadeiro de Abacaxi ao Vinho Branco

Não foi fácil fazer uma sobremesa em equipe, foi bem mais difícil que eu imaginei. Principalmente porque a maior parte das pessoas estava bem sem vontade e eu cheguei mesmo a desistir por ver que só eu estava empolgada. No último minuto improvisamos algumas idéias e saiu esta sobremesa, que ficou bem saborosa pro meu gosto. Apesar do brigadeiro ser doce, a redução e o abacaxi são ácidos e a castanha faz a parte crocante. A crítica que recebemos da professora foi só estética: ela queria mais contraste no prato, apesar de termos explicado que a idéia era uma coisa meio diáfana mesmo, pra combinar com o bolo de anjo, como se fosse uma sobremesa angelical (a foto não ficou boa pois tirei no meio da avaliação e a luz da sala não favoreceu). Se tivéssemos usado chocolate ou canela, pelo menos pra mim, teria estragado o sabor do prato, mas o que importa é que no final tudo se resolveu e todos da equipe ficaram satisfeitos.

Ingredientes:
Bolo de anjo (Le Cordon Bleu) (4 porções):
4 claras
1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha
1/2 colher (sopa) de cremor tártaro
90 g de açúcar
30 g de farinha de trigo peneirado
10 g de amido de milho peneirado

Bata as claras com o extrato até que fiquem fofas e esbranquiçadas. Adicione o cremor e bata até endurecer. Junte o açúcar aos poucos e depois incorpore com uma espátula a farinha e o amido peneirados. Distribua a massa em 4 forminhas de buraco no meio (usei umas de silicone). Bata as formas numa bancada para baixar um pouco a massa, a fim de que não fique buracos nos bolinhos. Asse por cerca de 15 minutos ou até crescer e dourar. Deixe esfriando de cabeça pra baixo sobre uma grade. Desenforme com cuidado.

Brigadeiro de Abacaxi ao vinho branco e castanha-do-pará
Faça um brigadeiro branco com 1 lata de leite condensado, 1 colher (sopa) de manteiga e 1/2 xícara de castanha-do-pará picada. Deixe cerca de 2 xícaras de abacaxi picado de molho em vinho branco (1/4 de garrafa) por várias horas (pode ser de véspera). Escorra o vinho e misture o abacaxi ao brigadeiro já pronto. Preencha o buraco do bolo de anjo com o brigadeiro.

Redução de vinho branco
Deixe reduzir os 3/4 da garrafa de vinho com um pouco de açúcar até que fique levemente caramelado e grosso. Use para finalizar o bolo de anjo.

14

Frozen Yogurt de Acerola

Pra dizer que ainda estou viva, passei rapidinho por aqui pra mostrar este frozen refrescante de acerola, a cereja tropical. Um sorvete cremoso combinaria mais com as estranhas chuvas de julho que andam caindo por aqui, mas é tempo de coisas leves.
O ideal teria sido tirar o soro do iogurte (não tive tempo nem paciência), mas mesmo assim ficou gostoso.

Ingredientes:
200 g de acerolas já lavadas e sem sementes
400 g de iogurte natural cremoso
1/2 xícara de açúcar (ou a gosto)
Sumo de 1/2 limão
2 colheres (chá) de vodka (opcional, para reduzir os cristais de gelo)

Bata todos os ingredientes no liquidificador até formar um creme homogêneo. Leve à geladeira por algumas horas e em seguida passe pela sorveteira até atingir a consistência desejada. Rende menos de 1 litro.